Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Jornal Agora

Valter Alencar é denunciado ao MP por uso de laranja no Piauí

Compartilhe

Na edição do quadro Jogo do Poder, do programa Agora, desta quarta-feira (20/02), composto pelos jornalistas Amadeu Campos, Arimatea Carvalho, Efrém Ribeiro, Ananias Ribeiro e Samantha Cavalca os profissionais explanaram os principais pontos dos bastidores da política.  

Wellington diz que reforma deve proteger mais pobres

O governador Wellington Dias, que se reuniu, em Brasília, com outros governadores e o ministro Paulo Guedes para discutir a reforma da Previdência, fez críticas à proposta do Governo Federal. "Eu já vi muita tentativa de reforma ser estragada em ambiente bom, em momento bom, em razão de colocar a carga para a parte mais pobre. Aqui, a proposta em relação ao beneficio da prestação continuada, pessoas com deficiência, pessoas que até estão ficando de fora, mas pessoas que nunca tiveram renda que estão mais numa rede de proteção. Quando se coloca um aumento da idade para 70 anos, uma redução no valor do beneficio, isso é explosivo, porque é colocar nas costas dos mais pobres um peso, um sacrifício bem potencialmente acima de qualquer outro setor de classe media alta que é assalariada. Então isso é um indicador que pode estragar o objetivo do entendimento. Eu fiz um apelo para começar tirando esta carga colocada sobre os mais pobres da reforma, isso limpa a área para que abra caminhos para, lado a lado, apresentar propostas", disse.

O senador Ciro Nogueira também compartilha da opinião do governador do Piauí e criticou o fato de algumas camadas da sociedade ficarem de fora da reforma. "Fatiar a reforma causa insegurança, até entre os militares, as pessoas tem que saber como vai ser sua previdência, quando vão se aposentar para poderem programar sua vida. Eu acho injusto. Eu sempre defendi que a reforma tem que proteger quem ganha pouco no nosso país, como se manda uma reforma colocando os trabalhadores rurais e não coloca os coronéis, generais? Não existe isso. Eu defendo que só tramite quando chegar tudo. Eu sei que ela é fundamental para o nosso país, eu não tenho um discurso de hoje, eu sempre tive este discurso, a Previdência deveria ser determinada pelo IBGE, de acordo com a expectativa de vida. Como um trabalhador rural do Piauí que tem um expectativa de vida menor do que um trabalhador rural de Santa Catarina vão ter a mesma previdência? Tem que ser diferente, então tem que avaliar todos estes pontos. Acho que se ela vier com o intuito de proteger as camadas mais pobres ela vai ter maior apoio da sociedade. Eu acho que as camadas mais ricas, os procuradores, juízes, políticos se utilizam destas camadas mais pobres dizendo que vão perder direitos e essas pessoas são levadas a este erro e nós nunca discutimos uma reforma como ela deve ser. O que os Progressistas têm como tese é que, se a reforma vier com o intuito de proteger os mais pobres, contará com nosso apoio. Eu não conheço ninguém das camadas mais pobres que se aposente com 50 anos, mas conheço coronel, senador, juiz que se aposenta com esta idade, então não pode acontecer isso, temos que proteger as camadas mais pobres", afirmou.

Valter Alencar é denunciado ao MP por uso de laranja no Piauí

Arimatea Carvalho: O jurista Valter Alencar foi denunciado formalmente ao Ministério Público Eleitoral por um integrante do partido [PSC], por usar supostamente uma candidatura laranja, a candidata a deputada federal Izete Rodrigues de Abreu. Segundo a denúncia já formalizada ao procurador regional eleitoral, ela recebeu R$ 280 mil do PSC, do fundo eleitoral, e obteve apenas 616 votos. Na denúncia, o denunciante Francisco José da Silva Rodrigues, diz que o próprio candidato a governador [Valter Alencar] recebeu apenas R$ 100 mil do fundo. A denúncia diz ainda que, além disso, ela seria funcionária do próprio Valter Alencar. A denúncia foi protocolada e cabe agora ao procurador regional eleitoral acatar ou não e fazer a investigação. Eu conversei com o ex-candidato Valter Alencar e ele me disse que isso é perseguição politica, porque ele adotou um discurso muito duro durante a campanha, de critica à politica tradicional e aos poderosos e agora está sendo atacado desta maneira. Não custa lembrar que o denunciante é ligado ao pastor soares que foi candidato pelo PSC também.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar