Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
Coiza Nossa

Sabores do Piauí: segredos e curiosidades da culinária Regional

Compartilhe

Todo lugar tem seu sabor. Guarda mistérios e segredos dos temperos. No Piauí é também assim... Gastronomia é Coizanossa.

Culinária Piauiense: História 

A culinária piauiense se destaca das demais do nordeste. O sabor da nossa comida tem raízes indígenas, primeiros povos que habitaram esta terra. Naquela época as refeições eram à base de milho, farinha de mandioca, palmito, macaxeira cozida com sal, abóbora, peixes, preás, mel e pimenta da terra. A tipicidade está em  permanecer utilizando esses ingredientes em pratos da nossa região mesmo com o aperfeiçoamento e sofisticação das receitas de hoje. O complemento da culinária piauiense foi implantado mais tarde pelos portugueses e africanos, quando chegaram no Estado. Inegavelmente fomos influenciados, sem perder nossas características indígenas. O próprio piauiense começou a despertar para os diversos produtos naturais que poderiam ser utilizados em pratos regionais, como é o caso do buriti, o bacuri e a manga...

Capote ao molho. Tente resistir ... (Crédito: Alcide Filho)
Capote ao molho. Tente resistir ... (Crédito: Alcide Filho)


Tipicamente do Piauí
A cozinha  tradicional piauiense difere-se das demais do Nordeste em vários aspectos. Destaca-se a larga utilização dos ''cheiros verdes'' (coentro e cebolinha verde), da cebolinha branca de Picos, da pimenta-de-cheiro e do corante natural extraído do urucum. O uso muito intenso da farinha de mandioca (farinha branca e farinha d'água) para a confecção ou complementação de pratos. As farofas ou fritos, o pirão e a paçoca são alimentos indispensáveis na mesa dos piauienses. Na área sertaneja, é muito  comum a mistura de arroz com feijão (Baião-de-Dois), ou ainda a mistura de feijão com milho, que deve ter toucinho, pé e orelha de porco.

A CARNE é um forte

O uso de carne com caldo (molho fino) é outra característica bem típica do costume alimentar dos piauienses. Um exemplo é a carne seca picadinha ou a carne fresca moída misturada com quiabo, jerimum, macaxeira e maxixe, temperada com muito ‘’cheiro verde’’, manteiga de garrafa e nata. Apesar da predominância das comidas sertanejas à base de carne, a cozinha piauiense dispõe de excelentes pratos à base de peixes e de frutos.


Piauí: muito além da cajuína
Quando o assunto é cultura nordestina, o Piauí ainda merece ser descoberto. O estado é surpreendente para quem gosta de descobrir novos costumes e tradições. Nessa direção, a gastronomia local tem um destaque todo especial. Nosso povo  adora celebrá-la. Basta sair às ruas da capital e perguntar a qualquer pessoa qual o prato típico do lugar. Você vai ter uma aula sobre os sabores da terra e, logo, vai sair pela cidade com todas as dicas de onde comer a carne de sol perfeita, o melhor capote (galinha-d’angola) e quem faz a melhor Maria Isabel (mistura de arroz com carne de sol em cubinhos e legumes). Vai saber ainda onde provas um crocantíssimo bolo frito e o doce de limão mais cremoso.

O segredo é a extração?
Pelo jeito, extração parece mesmo ser a palavra-chave quando se fala da culinária que esbanja receitas com frutas. Esse é um reflexo natural da abundância de árvores frutíferas que compõem o Estado. Em Teresina, o que chama atenção na cidade é a quantidade de barraquinhas de comida típica.  Nelas, vendem-se pirão de carne, muitos tipos de farofa e frituras diversas, como a de ovos, de galinha, de capote e torresmos.

PAÇOCA é um sucesso

Paçoca, invenção do Sertão.  (Crédito: Divulgação)
Paçoca, invenção do Sertão. (Crédito: Divulgação)

O cardápio variado inclui a paçoca, um prato indispensável na mesa do piauiense. No picadinho de carne fresca, estão juntos a macaxeira, maxixe, jerimum, abóbora e quiabo. Tudo isso regado a muito cheiro-verde. Na comilança obrigatória estão também os pratos de carne com folhas, como a vinagreira e unanimidades locais como a Maria Isabel, preparo em que o arroz pode ser misturado não apenas à carne-seca de boi, mas também à de bode, capote e galinha caipira.

Campo Maior, a capital da carne de sol

Carne de Sol ... sabor de Campo Maior do Piauí (Crédito: Divulgação)
Carne de Sol ... sabor de Campo Maior do Piauí (Crédito: Divulgação)

Basta passear pelas ruas de Campo Maior, a 78 quilômetros de  Teresina, para perceber que se está na capital nordestina da carne de sol. É nas calçadas que logo se vê as “tiras de carne de sol”. Geralmente servida de acompanhamentos como a paçoca, vinagrete e Maria Isabel, a carne inicia seu preparo com um os maiores temperos naturais do Piauí: o Sol. O diferencial da comida, preparada em Campo Maior, é que o Sol, usado na secagem, entra de forma diferenciada: a carne é colocada na sombra. É o vento seco e quente que faz seu trabalho.

Maria Isabel ... simplicidade sofisticada no Sabor do Piauí (Crédito: Divulgação)
Maria Isabel ... simplicidade sofisticada no Sabor do Piauí (Crédito: Divulgação)

Maria Isabel é a comida mais popular do Piauí

Uma das comidas mais típicas do Piauí é o Capote; Pode ser feito ao molho, com leite de  coco ou molho comum, com urucum, frito e bem temperado, misturado com arroz e pimenta de cheiro. Mas a Maria-Isabel (arroz misturado com carne de sol) é a comida mais popular do Estado. Os ingredientes são: 1Kg de arroz, 1Kg de carne de sol picada, 2 cebolas, 1 cabeça de alho, 2 maços de cheiro verde, 4 pimentas de cheiro, 1 porção de milho, 4 folhas de louro, 10ml de azeite de oliva, 50 ml de óleo. O seu modo de preparo é o seguinte. Lave a carne seca picada e coloque-a para dourar em manteiga quente. Em seguida, acrescente a cebola e o alho e deixe refogar bem, coloque o arroz misturado bastante com os temperos e a carne seca, acrescente em seguida água quente e a pimenta de cheiro cortada ao meio. Abafe a panela e aguarde até que o arroz fique solto .

5º Festival da Cajuína, 2017. Um show de sabores da nossa terra. Coizanossa.   (Crédito: Alcide Filho)
5º Festival da Cajuína, 2017. Um show de sabores da nossa terra. Coizanossa. (Crédito: Alcide Filho)


A cajuína é um alimento

Cajuína Campo Belo, campeã 2017. BrasSucos, a segunda melhor.  (Crédito: Alcide Filho)
Cajuína Campo Belo, campeã 2017. BrasSucos, a segunda melhor. (Crédito: Alcide Filho)

A cajuína é a bebida mais popular do Piauí. A bebida não é um refrigerante. Ela não tem gás. É um suco de caju mais leve, porque é feita sem o tanino: é o tanino que deixa aquela sensação de ‘’garganta travada’’. A castanha é vendida para o mundo inteiro e o fruto é usado para produzir a bebida mais popular da região. O suco bem leve de caju, com muitos nutrientes, começa a fazer sucesso pelo país. A cajuína tem 10 vezes  mais vitamina C do que um suco de laranja, por exemplo. Um copo de cajuína supre a necessidade diária de vitamina C de um adulto em duas vezes e meia, além de cálcio, fósforo, ferro e outros nutrientes que existem em quantidade menor.




Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar