Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros
Diálogo Franco

Firmino Filho pede que a população fiscalize os estabelecimentos

Firmino Filho pede que a população fiscalize os estabelecimentos
Firmino Filho pede que a população fiscalize os estabelecimentos | Reprodução
Compartilhe

Por Francy Teixeira

Na edição desta quinta-feira, 30 de julho, o programa ‘Diálogo Franco’, apresentado por Matheus Oliveira, recebeu o prefeito de Teresina Firmino Filho (PSDB). Na ocasião, o líder municipal analisou as estratégias adotadas pelo Executivo desde o final de março; segundo ele, a capital conseguiu evitar uma situação pior, observada em outras cidades que entraram em colapso.

Firmino Filho ainda pediu para que a população monitore se os empresários estão cumprindo os protocolos de segurança sanitária, e não entrem nos estabelecimentos que estiverem desrespeitando, com aglomerações por exemplo.


“É necessário que todos os empresários possam respeitar os protocolos, com os equipamentos para os trabalhadores, sanitização, existem protocolos específicos para cada setor, então cada empresa deve ter um plano de segurança para seu estabelecimento, peço a população que faça a fiscalização, obviamente a Guarda Municipal faz esse papel, mas pedimos também que a população faça esse monitoramento”, disse.

O prefeito fez um retrospecto da gestão de enfrentamento ao novo coronavírus, sinalizando que atualmente há 36 portas de entrada para pacientes com síndromes gripais.

“Nós ao longo desse período tomamos algumas decisões e elas refletiam no momento que estávamos vivendo, no início de maio tivemos que tomar as decisões em meio a incerteza, pouco a pouco fomos fazendo um banco de informações, Teresina adotou a estratégia correta, a quarentena aplicada a partir do dia 23 de março foi responsável pela redução da quantidade de sacrifício que a cidade teve, e permitiu que a rede hospitalar fosse reforçada, e a Prefeitura estabelecesse uma rede de assistência à covid-19; temos 36 portas de entrada de pacientes que sofreram com a covid-19, foi nossa estruturação, também fizemos um protocolo de atendimento que disponibilizou todas as drogas que estavam sendo debatidas ao  longo do tempo, mas obviamente a prescrição é um ato médico e ele teve autonomia”, disse.

Firmino Filho pede que a população fiscalize os estabelecimentos

Firmino Filho afirmou que é natural ocorrerem incompreensões, mas que tem ciência da necessidade das ações adotadas durante a crise provocada pela Covid-19. “Sabemos que tivemos incompreensões, isso é natural quando se trata de uma cidade democrática, tivemos muitos sacrifícios, muita dor, mas acredito que todos nós evitamos que o pior acontecesse”, frisou.

No que diz respeito ao processo  de reabertura, Firmino sinalizou que até o momento não houve um repique nos casos, e os índices continuam em queda, como por exemplo o número de óbitos, consultas gripais e a taxa de transmissibilidade.

“O que observamos foi o pico dessa doença em junho, e tivemos o pico de óbitos no final de junho, a partir daí nós passamos a ter a possibilidade de forma lenta e gradual, segura, reabrir a economia. Essa queda não aparece só nas pesquisas sorológicas, mas também nas consultas, casos confirmados, e número de óbitos, neste mês de julho vemos de forma mais intensa em queda, mesmo com a primeira fase da reabertura não houve um repique; estamos também reforçando o isolamento nos finais de semana e vamos continuar em meados de agosto. Apesar de termos um aumento na circulação de pessoas, de veículos, nessa fase que se iniciou dia 27 vamos ter a prova de fogo da reabertura”, afirmou.

Volta às aulas presenciais

Firmino Filho sinalizou que pode não cumprir o decreto estadual no que tange à volta às aulas presenciais, de acordo com ele, só haverá a retomada quando houver  segurança para tal.

“O decreto estadual possibilita o retorno a partir do dia 23 de setembro, isso não quer dizer que a Prefeitura vai retornar dia 23 de setembro, estamos monitorando, temos que ver a evolução da doença, ter segurança absoluta, só vamos retornar as aulas se tivermos segurança para nossas crianças, nossos professores. Muitas pessoas estão dizendo que as aulas vão retornar dia 23 de setembro, mas isso não é verdade, ainda não temos uma definição de uma data, vamos continuar monitorando”, afirmou.

Transporte coletivo

“Essa questão do transporte coletivo é muito importante, durante esse período não houve circulação dos terminais; segundo ponto: estamos neste momento ainda com o transporte para os trabalhadores dos serviços essenciais e dos que retomaram, existe um protocolo que deve ser respeitado pelos passageiros e motoristas; não menos importante, as aglomerações acontecem nos horários de pico, estamos fazendo o começo dos estabelecimentos de forma espaçada, essa ideia de fazer com que viemos a evitar ou reduzir o pico de manhã, antes da pandemia tivemos 220 mil passageiros dia, quatro semanas atrás tínhamos 4  mil e nesta semana temos 12 mil, estamos com pouco mais de 6% dos passageiros, e a rede de ônibus está 25% do total, nossa expectativa é a diminuição deste problema através da diluição dos  passageiros. Vamos aumentar a quantidade de ônibus nos horários de pico de forma gradativa, é necessário este esforço de todo, por parte das empresas, da população, da Strans fiscalizando e monitorando é um processo delicado que precisamos monitorar”.

E complementou. “Os terminais estão suspensos desde abril, e não retornarão até não termos uma situação diferente da pandemia”.

Prefeito pede que população fiscalize os estabelecimentos em Teresina - Foto: Reprodução/TV Jornal

Corso de 2021

“A opinião da nossa administração é que não deveremos realizar o Corso a não ser que exista uma vacina, ou a doença tenha desaparecido completamente da cidade, o que é muito difícil de acontecer. Obviamente como não seremos prefeito, será o próximo que irá decidir sobre a realização do Corso ou não, espero que o próximo prefeito tenha bom senso”.

Mensagem às famílias

“Lá no início em meados de março com a chegada no Brasil ficamos muito tocados com a consequência na nossa cidade, nosso abraço de solidariedade e que Deus possa confortar; é uma doença muito perigosa, um vírus que trabalha de forma muito inesperada, que Deus possa receber cada um desses teresinenses na sua terna misericórdia”.


Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar