Você precisa verificar a sua conta, acesse o seu e-mail

mais
URGENTE
Acidente em aeroporto de Teresina causa confusão em voôs para todo o país
Baixe o nosso APLICATIVO
ESCOLHA A LOJA ABAIXO: Google Play AppStore
curiosidades rede meionorte blogs notícias entretenimento esportes cidades carros

Fezes de galinha são usadas para conter disseminação da covid-19

O teste foi feito nos gramados de Lund, na Suécia

Fezes de galinha são usadas para conter disseminação da covid-19
| Reprodução/BBC
Compartilhe

A cidade sueca de Lund espalhou fezes de galinha nos gramados de seu principal parque, em uma tentativa de evitar aglomerações - e assim conter o avanço do novo coronavírus. Informações do site G1

Em tempos normais, Lund atrairia dezenas de milhares de visitantes em sua festa anual de Santa Valburga, tradicionalmente comemorada em países escandinavos.

Neste ano, porém, autoridades locais quiseram evitar festividades por conta da pandemia.

"Lund pode muito bem virar um epicentro de avanço do coronavírus", disse, ainda em abril, Gustav Lundblad, presidente do comitê ambiental local.

Com as fezes de galinha nos gramados, "temos a chance de fertilizar a grama e ao mesmo tempo deixá-la fedida, de modo que não seja agradável sentar-se ali para tomar uma cerveja", agregou.

A Suécia tem tido uma abordagem incomum — e também polêmica - no enfrentamento da pandemia. Ao contrário da maior parte da Europa e da Escandinávia, o país não impôs um "lockdown" severo e manteve a maioria das escolas, bares, restaurantes e comércios abertos, embora tenha pedido que as pessoas evitassem aglomerações e mantivessem o distanciamento social.

O país de 10,2 milhões de habitantes tem tido um número de infectados (22,3 mil, segundo a OMS em 4 de maio) e mortos pela covid-19 (2,6 mil) bem maior que seus vizinhos nórdicos — a Dinamarca, com população de 5,8 milhões, registrou até agora 9,5 mil casos e 484 óbitos.

 Isso levou alguns cientistas suecos a tecerem fortes críticas ao governo, acusando-o de ser leniente com a vida dos cidadãos e cobrando uma quarentena mais rigorosa. Ao mesmo tempo, apesar da ausência de medidas duras, o país não vivenciou o colapso sofrido por outros países europeus, como Itália ou Espanha.

"Tenho confiança na estratégia", respondeu o premiê sueco, Stefan Lofven, na semana passada, segundo a agência Reuters. "Uma razão pela qual escolhemos essa estratégia é que temos apoiado as agências (de combate à pandemia), e as medidas são sustentáveis ao longo do tempo."

A Reuters destaca que a população sueca é bastante espalhada por seu território, e mais da metade das residências são ocupadas por apenas um morador ,— a maior proporção na União Europeia. Além disso, o país tem um dos mais altos índices de confiança da população em seu governo.



Tópicos
Compartilhe

veja também

Não venda minhas informações pessoais

Central do usuário

Login pelas Redes Sociais

Nunca postaremos nada em seu nome


Login por e-mail

Use sua conta cadastrada por e-mail

Não tem conta no meionorte.com?

Cadastre-se

Podcast

Selecione seus podcasts

atualizar