Tremedeira pode não ser o primeiro sintoma de Parkinson

Tremedeira não é necessariamente primeiro sintoma

A doença de Parkinson é uma doença degenerativa que atinge cerca de 200 mil brasileiros e os primeiros sintomas nem sempre são os tremores. Quem tem a doença tem que se superar a cada dia. Para tirar dúvidas sobre o assunto, o Bem Estar desta quinta-feira (28/04) convidou a neurocirurgiã Alessandra Gorgulho e o neurologista Luiz Augusto Andrade.

Por ser degenerativa, a doença de Parkinson prejudica os movimentos mais automáticos do corpo, ocasionando rigidez nos músculos, postura encurvada, dificuldade de marcha, lentidão nos movimentos, perda de equilíbrio e tremores. O diagnóstico pode demorar, pois leva em conta a observação dos sintomas.

Apesar de ser o sinal mais característico, nem todo mundo que possui tremor tem Parkinson. Em estágios mais avançados, outros sintomas se somam aos mais comuns: sono agitado, intestino preso, dificuldade de fala, alteração cognitiva e demência.

Os tratamentos atuais servem para atenuar e controlar os sintomas, ainda não sendo possível frear a progressão da doença. Já o exercício físico é indicado para desenferrujar os movimentos automáticos, estimulando a maleabilidade.

Fonte: meio norte