Diabéticas têm chance maior de ter filhos com problemas

08 de Fevereiro 2012 as 14:56



Às diabéticas, um alerta: as chances de ter um bebê com deficiências congênitas, como doenças cardíacas e espinha bífida (anormalidade do sistema nervoso) é quatro vezes maior do que uma mulher normal. A conclusão é de uma pesquisa da Universidade de Newcastle e do Escritório Regional de Pesquisa da Maternidade, ambos na Inglaterra, financiada pela instituição beneficente Diabetes UK.

O levantamento contou com dados de 401.149 mil gestantes, incluindo 1.677 com diabetes, entre 1996 e 2008, no norte da Inglaterra. Vale lembrar que o estudo não analisou pacientes que desenvolveram a doença durante a gravidez. Os resultados mostraram que cerca de um em 13 bebês nascidos de mulher com tipo 1 ou 2 da patologia foi afetado por um defeito de nascença, enquanto a chance dos pequenos de mães não-diabéticas é de um em 50.

Como a descoberta sugere que os níveis mais elevados de açúcar no sangue aumentam o risco, ele pode ser minimizado com o controle da glicose, por meio de alterações de estilo de vida e dieta, além de medicamentos. "A boa notícia é que, com ajuda de um especialista antes e durante a gravidez, a maioria das mulheres com diabetes terá um bebê saudável", disse a pesquisadora Ruth Bell à revista Diabetologia