Acidente de integrante da banda Restart é vírus no Twitter

O vírus se trata de uma brecha do tipo Cross-site Scripting (XSS), na busca do Twitter

Um link contaminado com a falsa notícia de que o integrante da banda Restart Pe Lanza teria sofrido um acidente trágico foi espalhado pelo Twitter nesta segunda-feira (6). O link já teve mais de 110 mil cliques.

Até o final da tarde, o Twitter não tinha conhecimento sobre o vírus. Após avisados, os desenvolvedores do microblog confirmaram que se tratava de um link contaminado.

O vírus se trata de uma brecha do tipo Cross-site Scripting (XSS), na busca do Twitter, que permite que o link injete código na página, tomando o controle do Twitter do usuário. O vírus não infecta o computador, mas rouba o cookie de autenticação para que o site malicioso poste com a conta da vítima.



Após a notícia seguida com o link com vírus ter sido disseminado pelo Twitter, os usuários do microblog, que logo ficaram sabendo sobre o link contaminado, espalharam a informação para o resto dos internautas.

O vírus teria sido criado por um estudante de programação do Rio de Janeiro em um fórum de discussão da comunidade Orkut Exploits, da rede social do Google. Mais tarde, o estudante pediu desculpas, dizendo que não tinha a inteção de prejudicar ninguém.

A falha foi descoberta pelo estudente por meio do site XSSED, que é especializado em publicar falhas de XSS. Como muitas empresas afirmam que esse tipo de falha não é séria, o site se destina a mostrar como não é verdade. Segundo os desenvolvedores do Twitter, uma equipe completa está trabalhando em cima do vírus para eliminá-lo.

No início da noite, Pe Lanza se manifestou sobre a notícia na sua conta no microblog.

"Fizeram um VÍRUS com o meu nome dizendo que eu MORRI?! pô, que sacanagem! =/", disse o artista no post.

Outro link que chamava para fotos da Sabrina Sato nua também foi disseminado pelo Twitter. Mais uma vez, se tratava de um link com o mesmo vírus.

A notícia acende a polêmica em torno dos links encurtados que são publicados no Twitter. Como eles não mostram de onde o link está vindo, isso acaba sendo uma fácil armadilha para espalhar vírus pelo microblog.

Em junho deste ano, o Twitter anunciou que estava estudando formas de oferecer um encurtamento de URLs automático aos usuários do serviço de microblogs para evitar ataques maliciosos e outros tipos de golpes.

Fonte: g1, www.g1.com.br