Adolescente passa 5 anos no hospício para cura da homossexualidade

Adolescente passa 5 anos no hospício para cura da homossexualidade

Adolescente passa 5 anos no hospício para cura da homossexualidade

Uma jovem que passou 5 anos em um hospital psiquiátrico na cidade de Lopac, na Croácia, acaba de revelar aos jornais internacionais sua história de terror. Ana Dragicevic, hoje com 21, tinha 16 anos quando foi internada pelos pais para tratamento de um suposto vício de heroína. Detalhe: a menina tinha acabado de revelar aos pais que era lésbica. Ana afirma que não era viciada em heroína e contou detalhes dramáticos do "tratamento" que escondia o real motivo: a "cura" da sua homossexualidade. O depoimento dela foi publicado esta semana pelo jornal croata "Jutarnji list".

Ana foi encaminhada pela diretora Mirjana Vulin ao núcleo de esquizofrênicos do hospital.

Lá, atada a uma camisa-de-força, era obrigada a tomar pílulas (foto meramente ilustrativa) que a faziam "virar os olhos como uma louca". A jovem disse que em momentos de consciência olhava em volta para as pessoas que dividiam o local com ela e sentia-se aterrorizada.

A parte do tratamento não era menos chocante.

Frequentemente era questionada e obrigada a dar a resposta pretendida...

- Quem você escolheria para namorar? Um homem ou uma mulher?

Ana revela que tinha que repetir várias vezes "homem" para poder pular esta fase do "tratamento".

A terapia de Ana durou 5 anos (para casos de vício em drogas são 2 anos) e ela só conseguiu sair do hospício depois que o caso dela chegou aos ouvidos do Procurador-Geral do Estado.

A diretora Mirjana Vulin foi demitida e substituída por ordem do Ministro da Saúde Darko Milinovic e Ana libertada.

Hoje ela mora em um apartamento alugado por parentes (não os pais) e está fazendo curso de cabeleireira.

Ana perdeu 5 anos de escola, internada como louca e vivendo em um ambiente de terror.

Nota: a homossexualidade foi retirada da lista de doenças pela Associação Americana de Psiquiatria e, na mesma época, do Código Internacional de Doenças (sigla CID) em 1973. A Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), no dia 17 de maio de 1990, removeu a homossexualidade da sua lista de doenças mentais declarando que ?a homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão? e proibiu os psicólogos de colaborar com eventos e serviços que proponham tratamento e cura da homossexualidade

Fonte: Terra, www.terra.com.br