Estudo aponta quantas vezes por semana um casal deve fazer sexo

Você provavelmente já ouviu um monte de palpite sobre isso.

Você provavelmente já ouviu um monte de palpite sobre o comportamento sexual ideal e quantas vezes por semana um casal feliz deve transar para manter um relacionamento saudável. Cada um tem a sua teoria. Mas, será que existe uma quantidade ideal de sexo por semana para um relacionamento saudável e feliz?

Como é difícil mensurar a realidade utilizando pessoas próximas como base, pesquisadores da Universidade Carnegie Mellon, nos Estados Unidos, tentaram encontrar a resposta. Para isso, eles resolveram estabelecer uma relação entre o nível de felicidade de um casal e o número de vezes em que eles transam por semana.

No total, 64 casais heterossexuais formados por pessoas saudáveis e com idades entre 35 e 65 anos foram convidados para participar da pesquisa. Durante três meses, eles foram aleatoriamente divididos em dois grupos: o primeiro seguiu sua rotina sexual normal enquanto o segundo foi instruído a dobrar o número de vezes em que fazia sexo na semana.

Além disso, ao longo da pesquisa, os participantes precisaram responder três tipos de questionários: um no início do experimento, outro, diariamente enquanto o estudo estava acontecendo, e, por fim, um no final do período de três meses. A ideia dos pesquisadores era descobrir se aconteceria alguma mudança na felicidade e satisfação de cada casal.

Estudo aponta quantidade de sexo do casal (Crédito: Reprodução)
Estudo aponta quantidade de sexo do casal (Crédito: Reprodução)


O resultado pode ser surpreendente mas, se analisarmos com calma, veremos que era de se esperar que os participantes respondessem a situação desta forma: os casais que dobraram sua frequência sexual não pareceram estar mais felizes. Na verdade, o desejo e satisfação sexual diminuiu.

O sexo surge de um desejo natural e de um pedido do corpo, não ter esse impulso todos os dias é algo completamente compreensível e, quando transformamos algo natural em algo mecânico, o resultado é deprimente e pode refletir completamente em outras áreas da nossa vida.

Fonte: Manual do Homem Moderno