Falar de sexo é importante para o casamento, diz sexóloga

Falar de sexo é importante para o casamento, diz sexóloga

Sexóloga Laura Muller diz que casais que falam sobre o assunto têm relações mais prazerosas

Falar sobre sexo com o parceiro é importante para manter a relação cada vez melhor. Quem afirma é a sexóloga Laura Muller, que participa semanalmente do programa “Altas Horas” (TV Globo). “O casal precisa falar sobre o assunto, mostrar do que cada um gosta, do que não gosta, falar dos seus desejos de forma solta, expor quais são suas dificuldades, suas fantasias. Se conhecer mais e, assim, sentir mais prazer nas relações”, afirma.

A sexóloga explica que é muito comum, depois da chegada dos filhos, que todas as atenções do casal se voltem para as crianças, o que acaba deixando a vida conjugal um pouco de lado. Mas o sexo é necessário. “Tem que existir o papel de mãe e pai, mas também de marido e mulher”, diz. Para reintroduzir o sexo na dinâmica do casal, ela diz que é fundamental abrir um espaço para o namoro, criar alguns momentos para ficarem a sós, apenas os dois, sem os filhos. “Os pais precisam se organizar como for possível. Não dá para ter muitas regras, isso varia de acordo com a dinâmica familiar. Cada pessoa é única, cada casa é diferente”.

Outro ponto destacado por ela é que os casais que falam abertamente sobre sexo entre si, têm maior desenvoltura ao falar do assunto com os filhos quando eles começarem a fazer perguntas e manifestar curiosidades sobre o tema. “Pais que não conversam sobre sexo entre si costumam ter mais dificuldades para lidar com o tema. Já os que possuem este hábito, saberão como lidar com as dúvidas dos filhos de forma mais tranquila”, explica.

Estar sempre em busca de informações é sempre importante, seja com outras pessoas ou em livros e na Internet. Se houver necessidade, a sexóloga sugere também buscar ajuda médica (no caso de alguma questão física) ou psicológica. “Sexo é um assunto que mexe muito com a gente. Foram séculos de repressão sexual muito forte, é natural que ainda seja um tabu, e isso vai demorar a mudar. Por isso sugiro sempre buscar informações, saber mais sobre prazer, desejo, orgasmo, dor... e aprender a lidar com tudo isso. Assim vão surgindo novas e positivas formas de ver o assunto”.

Clique aqui e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: Bolsa de Mulher