Homem e mulher buscam pornografia e se masturbam, aponta pesquisa

Mulheres e homens buscam pornografia para sentir prazer

O erotismo e a autoestimulação são partes normais da sexualidade de homens e mulheres: masturbação, vibradores, vídeos e outros estimulantes são saudáveis e ajudam a criar autoconhecimento. Apesar disso, essa aventura, que costuma ser solitária, ainda é vista como tabu. Uma nova pesquisa avaliou com que frequência homens e mulheres se masturbam e acessam conteúdo pornográfico na internet. Veja os resultados a seguir.

Masturbação e vídeo pornô: quanto homens e mulheres procuram

A pesquisa foi conduzida pela psiquiatra Carmita Abdo, do Hospital das Clínicas, da Universidade de São Paulo, com apoio da farmacêutica Pfizer. Foram ouvidas 3 mil pessoas com o objetivo de entender de forma abrangente a sexualidade dos brasileiros.Dois dos aspectos abordados foram a prática da masturbação e o acesso a conteúdo erótico na internet, hábitos que costumam estar relacionados.

Frequência de masturbação

Enquanto metade dos homens entrevistados disse praticar a masturbação com frequência, apenas uma em cada quatro mulheres disse fazer o mesmo. Outro número que assusta diz respeito à quantidade de pessoas que nunca se masturbou: cerca de 60 homens e 600 mulheres fizeram essa afirmativa, números bem diferentes.A psiquiatra Carmita Abdo, que também coordena o Projeto Sexualidade (ProSex), do Hospital das Clínicas da USP, explica que as mulheres são o grande contingente da população que não se masturba e, em grande parte, trata-se de moças com idade entre 18 e 25 anos. Das entrevistadas, 45,2% declarou não ter o hábito de se tocar.

Image title

Outro dado mostra que 15% dos homens e 21% das mulheres deixaram de praticar a masturbação. De acordo com a psiquiatra, grande parte dessas pessoas agora tem um parceiro e pode fazer sexo ao invés de se masturbar.

Acesso a conteúdo erótico

Um dado surpreendente: a mesmo quantidade de homens e mulheres disse acessar pornografia na internet esporadicamente: 45% deles e 45% delas. A psiquiatra explica que esse dado chama atenção especialmente porque tratam-se também de mulheres e homens casados.

Os homens admitem acessar esse tipo de conteúdo com mais frequência: 34% deles fez essa revelação, versus 10% delas. Dentre o público que afirmou não consumir pornografia, as mulheres se destacam: 45% disse não ter o hábito, enquanto 20% dos homens fez a mesma afirmação.

Fonte: Bolsa de Mulher