Palavras certas mostram intimidade e atiçam a relação sexual

A prática flui melhor quando há bastante intimidade


Image title

O estímulo das palavras é tão importante quanto o toque. O sexo verbal, além de aumentar a autoestima, é uma prática que demonstra a intimidade conquistada ao longo do tempo. Porém, as frases ditas no momento a dois são sinônimo de tabu para algumas pessoas.

Saber o que e quando falar é uma arte que vai sendo refinada aos poucos. Não adianta proferir frases maliciosas antes mesmo de a ação começar. O ato deve fluir naturalmente. Confira dicas que vão fazer você e seu companheiro enlouquecer de tanto tesão.

Quando apostar no sexo verbal? 


Assim como tantas outras questões relacionadas ao sexo, as frases picantes também dependem do gosto de cada parceiro. Para a terapeuta sexual e psicóloga Laura Meyer da Silva, o diálogo antes da relação é uma forma de evitar constrangimentos. “O casal precisa se conhecer e conversar a respeito do que gosta ou não na relação sexual”, comenta.

O bate-papo, segundo a psicóloga, ainda pode aumentar o grau de intimidade. O importante é não generalizar e conhecer o seu parceiro de forma ampla. “Muitos homens preferem não falar e acabam brochando quando a mulher fala. Elas, no entanto, gostam que eles digam e se sentem muito excitadas”, destaca.

O que falar durante o sexo verbal? 


O melhor é variar. De vez em quando, diga algo mais carinhoso e que demonstre o seu amor pelo parceiro. Em outros momentos, deixe transparecer o seu desejo por mais. O importante, de acordo com Laura, é não cair na rotina - ela tira a graça da brincadeira. “Existem momentos em que se quer dar essa apimentada, então é hora de falar tudo o que se tem vontade”, afirma.

O sexo verbal, tanto para os homens quanto para as mulheres, é uma forma de estimular a autoestima. Vale dizer que o parceiro é gostoso, que provoca tesão e que você estava morrendo de saudade dos carinhos que costumam trocar.


Alguns, por conta da intimidade, adoram inventar personagens e criar um diálogo. Há mulheres que preferem fantasiar que são prostitutas satisfazendo o cliente. “A fantasia corre solta e quanto mais o casal inventa, mais prazer sente em dizer palavras que poderiam soar agressivas fora do contexto”, comenta Laura.

O que importa, na opinião da terapeuta, é sempre respeitar o parceiro e conhecer as suas preferências. “Precisa haver intimidade entre o casal para que os dois tenham a liberdade de dizer o que querem e saber que aquilo não vai ofender o outro”, finaliza.

Fonte: Terra