Saiba por que os homens perdem a ereção durante a relação sexual

A parceira fica brava ou triste quando se depara com a eventualide

Muitas mulheres associam problemas de ereção dos parceiros com falta de excitação, de desejo, e culpam-se por isso. Não raro, a parceira fica brava ou triste quando se depara com uma eventualidade dessas, pois se sente pessoalmente ofendida.

Image title

É importante frisar que, no sexo, o homem é tão vulnerável a distrações quanto a mulher e que o mecanismo de ereção é muito sensível. A diferença é que, no caso deles, isso pode ser observado imediatamente, devido à perda da ereção, enquanto elas podem continuar na relação sem dar nenhum sinal”, explica o psicólogo e terapeuta sexual Paulo Tessarioli.

São muitos os fatores capazes de influenciar na rigidez e manutenção da ereção e que não têm absolutamente nada a ver com o desejo pela parceira ou parceiro. Na verdade, na maioria dos casos, trata-se de questões emocionais do próprio homem ou fisiológicas.

O que pode fazer o homem perder a ereção?

“Vamos imaginar um casal jovem na casa dos pais. Estão com a porta fechada, mas não trancada. O garoto sabe que ali não tem privacidade, então, ao mesmo tempo em que tem a excitação por estar com a parceira ou parceiro, não há tranquilidade para gerir os fatores externos. Ele vai ficar com a atenção dividida e só isso já é motivo para ter a ereção e perdê-la em seguida”, exemplifica o profissional.

Podem ser também questões ligadas à própria saúde do homem. Mesmo sendo jovem, é possível que sofra de doenças crônicas, como pressão alta, colesterol alto ou diabetes não diagnosticados.

Se o homem estiver cansado ou em jejum há muito tempo, este pode ser outro motivo para que não consiga ter uma ereção muito rígida. “O sexo é análogo a uma atividade física, é necessário o mínimo de preparo físico para praticá-lo”, afirma Dr. Paulo.

Por fim, o nível de nervosismo do indivíduo influencia diretamente no desempenho sexual. “Se o sujeito for ansioso, fatalmente isso vai acontecer. Se tiver casos em que fracassou no histórico sexual, ficará com isso na cabeça”, afirma o psicólogo.

O problema que ocorreu pontualmente por conta de um fator externo se reverte contra o homem e dificulta ainda mais a ereção. “Ele começa a pensar: ‘até agora não estou excitado, o que está acontecendo comigo?’. Essa autocobrança vira um fator interno e pode acabar transformando o problema em uma disfunção erétil”, expõe Dr. Paulo. Em outras palavras, o medo de que o problema se repita toma conta da mente do homem e passa a prejudicar seu desempenho de maneira frequente.

É normal?

O psicólogo explica que o quadro só é considerado um problema se for recorrente, ou seja, se acontece com certa frequência com a mesma parceira ou em situações similares. Neste caso, é necessário buscar ajuda profissional para identificar a raiz da disfunção – que pode ser física ou emocional – e então tratá-la da melhor forma.

Fonte: Com informações do Brasil Post