Amigas usam redes sociais para criar projeto Cãomiseta e ajudar a Apip; conheça

As camisetas custam apenas R$ 30 reais e estão disponíveis em cinco estampas com desenhos de cães e gatos.


Image title

As redes sociais servem como ferramentas poderosas para quem pretende fazer o bem. Pensando nisso, as cinco amigas: Isabela Matos, Juliana Serra, Leilanne Castro e Marcelina Bezerra se juntaram e criaram uma página no Facebook e no Instagram chamada Cãomiseta, com objetivo de vender camisetas para ajudar a Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa).

A psicóloga Juliana Serra, que é uma das idealizadoras do projeto, explica que todo o lucro será revertido para a Apip em forma de materiais para os animais.“Tudo que a gente conseguir será revestido para Apip que desenvolve um trabalho muito importante que consiste em cuidar de animais abandonados. Ração, material de limpeza e medicamentos serão comprados e doados a partir dessa contribuição de quem adquirir a camiseta. Além disso, desenvolvemos ações para conscientizar todos sobre os devidos cuidados com os seus animais”, afirma Juliana Serra.

Os interessados podem comprar as camisetas através do perfil @caomiseta no Instagram e da página Cãomiseta no Facebook. As camisetas custam apenas R$ 30 reais e estão disponíveis em cinco estampas com desenhos de cães e gatos. Inicialmente, foram confeccionadas cerca de 100 unidades que já estão se esgotando, segundo Isabela Matos que fala da rápida aceitaçãodo projeto.

“Começamos a divulgas há dois dias atrás e , no primeiro dia, já conseguimos cerca de 300 seguidores no Instagram. A quantidade de camisa que a gente encomendou foi de 100 unidades, mas já está acabando, por conta disso, teremos que fazer uma nova encomenda”, explica.

As estampas foram feitas de forma voluntária por estudantes de artes visuais da Universidade Federal do Piauí (UFPI). Nos próximos dias 3 a 9 de maio, o grupo estará no Complexo Turístico da Ponte Estaiada, na zona Leste de Teresina. No local, será feita a venda das camisas e divulgação do andamento do projeto nas redes sociais.

Fonte: Portal MN