Angélica: "Não existe a perfeição, a família-modelo"

Eu gostava muito de trabalhar com as crianças mas o formato foi se desgastando e eu também, disse

A revista QUEM desta semana, que chega às bancas nesta quarta-feira (28), traz uma reportagem de capa com a apresentadora Angélica, que acaba de completar dez anos no comando do quadro "Vídeo Game", do programa "Vídeo Show", da TV Globo. Foi o quadro que lhe permitiu conquistar um público mais adulto. ?Foi uma transição natural. Eu gostava muito de trabalhar com as crianças mas o formato foi se desgastando e eu também?, analisa a apresentadora, que nessa transição também deixou de cantar e fazer shows. ?Não sou boa cantora?, afirma.

Aos 38 anos, Angélica conta que o casamento com o apresentador Luciano Huck, com quem tem dois filhos, Joaquim, 6 anos, e Benício, 4, também tem problemas, como outro qualquer. ?Não existe a perfeição, a família-modelo?, diz.

Leia abaixo alguns trechos da entrevista

QUEM: O Vídeo Game completou dez anos. Achou que fosse durar tanto?

Angélica: Não pensei. Quando me chamaram para fazer, era um quadro de 8 minutos dentro do Vídeo Show. Era gostoso, tinha um público adolescente que tinha crescido comigo. Ele foi mudando, aumentando. Hoje, tem 25 minutos, virou um programa.

QUEM: Qual foi o momento mais inesquecível nos dez anos de programa?

A: Coincidiu que esses dez anos foram muito importantes na minha vida. Casei, tive filho, mudei de público, amadureci. Minha carreira sempre acompanhou minha vida. Nesses dez anos, parei de cantar e fazer shows. Foram muitos momentos emocionantes.

QUEM: Você sentiu ciúme da Fernanda Lima em seu lugar?

A: Não. Eu estava numa coisa tão maior... Na época, pensei: ?Será que eu não gosto de fazer o programa?? Eu estava tão querendo sair, estava tão querendo parir, ter meu filho, que estava feliz que ela estivesse fazendo, que ela era fofa, querida. Antes até de ela fazer o Amor & Sexo nos encontramos e perguntei quando ela ia voltar e ela falou: ?Você não faz mais filho!?.

"Com 28 anos, eu ia fazer a capa de uma revista de beleza, malhava uma semana e estava incrível. Com 38, você sua a camisa (Risos)."

QUEM: Não tem planos para engravidar no ano que vem?

A: Não tenho planos. Quero antes dos 40 anos. Tenho mais dois pela frente.

QUEM: Já dá para saber se eles vão seguir a carreira artística?

A: Não dá para saber ainda. Hoje, eles têm admiração pela gente, eu sei que têm orgulho, mas de isso virar uma coisa que eles queiram fazer acho que ainda demora. O Joaquim já falou que quer ser muitas coisas, engenheiro, arquiteto, mas de TV ele nunca falou.

QUEM: Sente saudade de cantar?

A: Não (risos). Não é que eu gostasse de cantar ? até porque não sou boa cantora. Eu me esforçava para estar ali. Gostava era do público, dos shows. Tinha que estudar, não era fácil. Canto para meus filhos, na verdade eles não pedem muito para eu cantar, não, acho que não gostam muito da minha voz (risos). Eles pedem para eu dançar. Ficamos dançando na boate que temos em casa. Botamos o iPad com uma música bem alta, uma caixa de som. Rola Lady Gaga, Beyoncé. Fazemos performances, cada um faz a sua. Eles fazem Michael Jackson para mim. O Luciano fica de DJ. Acho que ele não dança tão bem como a gente.

QUEM: Sente-se melhor hoje do que há dez anos?

A: Eu me sinto melhor, mais segura do que há dez anos. Porque com a segurança você passa um negócio legal. Com a aparência, a vida, com tudo. Estou me sentindo bem, feliz. Há dez anos, eu me sentia mais insegura, me achava horrível, mas vejo fotos e estava linda (risos). Sou feliz como estou hoje, mas há dez anos tinha um corpo mais legal. Com 28 anos, eu ia fazer a capa de uma revista de beleza, malhava uma semana e estava incrível. Com 38 você sua a camisa (risos)!

QUEM: A imagem que vocês passam de família de comercial de margarina é real?

A: Lógico que não, imagina! Não gosto de reclamar, porque tenho uma família saudável, feliz e a gente se ama. Nesse ponto, é família de margarina total. Mas temos nossos problemas. O Luciano tem as questões dele, eu tenho minhas questões pessoais, profissionais. Por mais que a gente leve a vida numa boa e esteja muito feliz juntos, claro que há problemas.

QUEM: Que problemas?

A: Tem a saudade que a gente sente. Estamos sempre cercados de muita gente e muita gente suga um pouco, você fica ali exposto o tempo todo. Então, a gente chega em casa exausto, um olha para a cara do outro e fala tipo ?ai?. Não conseguimos nem conversar, às vezes, mortos de cansados. É óbvio que a gente tem problemas. Mas, tudo bem, aí, faço minha análise, ele não faz a dele (risos). A gente se cuida. Não existe a perfeição, a família-modelo. Modelo de quê? Para quem? Cada um tem um jeito, né? O que é bom para uns não é bom para outros. Mas a gente é muito feliz. Uma das coisas que eu e o Luciano temos em comum é que não somos personagens na televisão, a gente é de verdade!


Angélica:

Fonte: Quem