Antônia Fontenelle envia carta a imprensa sobre processo de herança

A atriz reafirmou que irá recorrer da decisão em 1ª Instância de que não teria direito aos bens de Marcos Paulo, com quem viveu durante sete anos.

Nesta quarta-feira, 16, Antônia Fontenelle se manifestou sobre as informações dos processos judiciais que correm em sigilo na 1ª Vara de Família da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, a respeito da disputa judicial pela herança de Marcos Paulo, com quem foi casada durante sete anos.


Antônia Fontenelle envia carta a imprensa sobre processo de herança

Desde a morte do ator e diretor, em novembro de 2012, Antônia briga pela posição de herdeira dos bens de Marcos com as filhas dele, Vanessa, do relacionamento com a modelo Tina Serina, Mariana, da união com Renata Sorrah, e Giulia, do casamento com Flávia Alessandra. Marcos deixou uma carta garantindo que a atriz e produtora de elenco teria direito a 60% de seus bens e investimentos, mas o documento não foi aceito pela juíza do caso, Maria Cristina de Brito. A carta é assinada pelos advogados de Antônia. Veja a íntegra do documento:

"Antonia Fontenelle, por seus advogados, em razão da divulgação para a imprensa de informações dos processos judiciais que correm em sigilo perante a 1ª Vara de Família da Barra da Tijuca no Rio de Janeiro, sobre as quais foi questionada, tem a esclarecer o quanto segue:

Como é de conhecimento público, Antonia conviveu com o ator e diretor Marcos Paulo por sete anos. Durante este período, mais do que marido e mulher, foram parceiros, sócios, realizaram projetos profissionais, computando juntos enormes resultados.

Foi inquestionável cuidadora de Marcos Paulo, devido ao câncer que o acometia, em todos os momentos em que este se encontrava com sua saúde fragilizada, até seu último dia de vida.

Quando do falecimento de seu companheiro, Antonia tomou conhecimento de que ele, Marcos Paulo, havia confiado ao seu advogado e atual inventariante, Dr. João Paulo Lins e Silva, manifestação de próprio punho que a beneficia por reconhecê-la titular de direitos decorrentes da união estável mantida. Documento este, inclusive, de ciência do pai do ator e diretor.

Na sequência, realizou-se reunião, da qual as herdeiras e seus procuradores participaram, com o propósito de, dentre outros, levar ao conhecimento dos presentes os direitos reconhecidos por Marcos Paulo, no manuscrito, em favor de Antonia Fontenelle.

Apesar da aparente concórdia demonstrada naquela reunião, não demorou a acontecer uma sucessão de eventos e dissabores que a surpreenderam, como a decisão judicial que a impediu de entrar na residência onde morava com Marcos Paulo, impossibilitando-a de reaver e dispor de seus bens pessoais.

Diante deste cenário, visando proteger seus direitos e, principalmente, honrar a vontade daquele que foi seu grande companheiro em vida, Antonia não viu outra alternativa senão pleitear em juízo os seus direitos.

Antonia esclarece que possui parecer favorável do Professor Doutor Álvaro Villaça Azevedo, um dos maiores juristas do país, autor de vários livros, e em especial autor da lei da União Estável (Lei nº 9.278/96).

Além disso, conta com o reconhecimento do próprio pai de Marcos Paulo, Vicente Sesso, que registrou em cartório ser testemunha da vontade de seu filho de garantir os direitos de Antonia pela reconhecida união.

Para Antonia, a decisão da juíza de 1ª instância causa perplexidade, motivo pelo qual, legitimamente indignada, utilizar-se-á de seu direito de recorrer, por acreditar na reversão desta decisão pela Instância Superior".

Fonte: EGO