Ator é acusado de agredir atriz pornô em quarto de hotel

Ator é acusado de agredir atriz pornô em quarto de hotel

Atriz pornô diz que vai processar Charlie Sheen por agressão

Uma atriz pornô que se trancou no banheiro de um quarto no Hotel Plaza de Nova York no mês passado em meio a uma crise do ator Charlie Sheen, que estaria bêbado, disse na segunda-feira que vai mover uma ação cível contra o ator por agressão.

Capri Anderson acusou o astro do seriado "Two and a Half Men" de agarrá-la pelo pescoço e atirar objetos contra ela.

"Nunca imaginei que a noite fosse se desenrolar do jeito como aconteceu", disse Anderson na segunda no programa de entrevistas na TV "Good Morning America". A atriz afirmou que ainda na segunda-feira abriria uma ação em um tribunal cível de Los Angeles por cárcere privado e agressão.

Em outubro, Charlie Sheen foi encontrado pela polícia aparentemente bêbado e incoerente em uma suíte de hotel com móveis quebrados. Ele foi levado ao hospital, mas não foi preso, nem foram registradas queixas criminais contra ele.

Um representante de Sheen disse no mês passado que o ator apresentara reação negativa a um medicamento não identificado.

Anderson disse à TV na segunda-feira que foi convidada, com a promessa de 3.500 dólares, a fazer uma "apresentação num jantar" em um restaurante de Nova York, onde a ex-mulher de Sheen, Denise Richards, também estava presente.

Ela disse que o ator de 45 anos foi ficando mais e mais embriagado no restaurante, falando de maneira "vulgar" e indo várias vezes ao banheiro.

Quando retornaram ao hotel, ele teria cheirado "um pó branco" e então, com a concordância dela, os dois começaram "a ter um pouco de romance".

"Fiquei muito incomodada quando ele pôs as mãos em volta de meu pescoço, e então as coisas começaram a degringolar muito rapidamente", disse a atriz pornô.

Anderson contou que Sheen começou a jogar objetos nela, incluindo um abajur, e que ela se trancou no banheiro e telefonou para um amigo.

Indagada por que razão não denunciou o ocorrido à polícia num primeiro momento, ela disse que ficou "abalada".

"Eu estava chorando e fiquei sem jeito porque estava de lingerie quando a polícia chegou", disse ela.

Anderson afirmou que não discutiu qualquer pagamento em troca de sexo, nem recebeu qualquer pagamento.

O empresário de Charlie Sheen, Mark Burg, sugeriu na segunda-feira que Anderson tenha inventado a história para ganhar dinheiro, observando que ela não registrou boletim de ocorrência policial. "Esta é uma mulher que dorme com um estranho em troca de um valor xis em dinheiro", disse Burg ao site de celebridades TMZ.com.

Sheen, cujo "Two and a Half Men" é a comédia de maior audiência da TV americana, confessou-se culpado em agosto de agredir sua terceira mulher, Brooke Mueller, em dezembro de 2009 e foi sentenciado a três meses de liberdade condicional e fazer reabilitação de drogas e álcool.

Ele deu entrada em um pedido de divórcio de Mueller em 1o de novembro.

Fonte: Yahoo