Britânico que teve câncer de mama faz campanha para homens

Britânico que teve câncer de mama faz campanha para homens

Ele foi operado e está se recuperando bem da doença

Um homem de 58 anos que foi diagnosticado com câncer de mama está fazendo uma campanha no Reino Unido para conscientizar as pessoas sobre a incidência da doença também em homens.

O designer gráfico Steve McAllister, da cidade de Cardiff, no País de Gales, foi operado e está se recuperando bem da doença, que tende a ser associada às mulheres.

McAllister, que decidiu fazer um registro fotográfico de sua luta contra o câncer, quer que sejam oferecidos melhores serviços de apoio a homens com a doença.

Ele vem pedindo aos homens que não tenham vergonha de ir ao médico se suspeitarem que podem ter esse câncer.

O designer disse também que espera desenvolver material informativo sobre a doença direcionado especificamente a esse grupo.

Estigma

Em média, um em cada cem pacientes com câncer de mama é homem.

"Muitas pessoas ficam surpresas ao ouvir que homens também sofrem de câncer de mama. Até o farmacêutico perguntou por que haviam me receitado remédios para câncer de mama", disse McAllister.

Ele explicou que, na maioria dos casos, quando um homem encontra um nódulo na região do peito próximo dos mamilos, tende a não dar atenção ao fato.

"Eles pensam que é um cisto, não imaginam que pode ser câncer de mama", disse.

"Se encontrarem um nódulo ou algo estranho, é importante que aquilo seja checado."

"Você tem de ir ao seu clínico geral, não há estigma. Isso pode salvar sua vida."

Após visitar o médico reclamando de um nódulo no lado esquerdo do peito e de desconforto, McAllister foi submetido a uma mamografia.

O exame identificou o câncer que estava, na verdade, no lado direito do seu peito.

Para mulheres

McAllister diz que se preocupa com o fato de que, após ser diagnosticado, recebeu folhetos informativos escritos exclusivamente para mulheres.

"Não tenho problemas em mostrar minha cicatriz a qualquer um", disse. "Isso torna todos com quem falo mais conscientes sobre os riscos de câncer de mama (em homens)."

O especialista em câncer de mama Sumit Goyal, do University Hospital Llandough, no País de Gales, aplaudiu a campanha de McAllister para que haja mais apoio a homens afetados pela condição.

"Muitos teriam dificuldade em falar publicamente sobre uma condição que, para a maioria das pessoas, estaria associada apenas às mulheres".

Segundo o especialista, homens com idade em torno de 50 anos precisam estar conscientes dos riscos de câncer de mama.

"Câncer de mama também mata homens", disse Goyal.

Fonte: g1, www.g1.com.br