Cameron Diaz diz que gostaria de falar o que pensa sem censuras

A atriz é a estrela de Bad Teacher, onde estrela ao lado de Justin Timberlake.

Reconhecida tanto por seus papéis cômicos como pelos seus altos cachês, Cameron Díaz se diz certa de que todos nós gostaríamos de falar "sem censura, sem consciência e sem temer as repercussões"; motivo pelo qual adorou ter interpretado a irreverente professora de Bad Teacher.

A atriz, que está em Londres filmando Gambit, que tem roteiro dos irmãos Cohen, fez uma parada em Madri para falar de Elizabeth Halsey, uma professora que não gosta de crianças, fala palavrões e fuma maconha, entre outras particularidades.



"Todo mundo gostaria poder dizer em algum momento o que quiser sem causar repercussão, ser capaz de fazer e dizer o que quiser, sem censura, sem consciência, mas isto não é realista; a maioria deve seguir pautas socialmente aceitáveis, e em geral está certo, porque se todos fizéssemos isso, diríamos coisas horríveis", considerou Cameron em entrevista à Agência Efe.

Bad Teacher mostra uma professora cujo verdadeiro trabalho é buscar um marido rico que a sustente. "Ela vai ao colégio para tirar sonecas que compensem as noites que passa de bar em bar buscando um bom partido", disse a atriz.

A protagonista de Quem Vai Ficar com Mary?, dirigida pelos irmãos Farrelly, encontra semelhanças evidentes entre os dois filmes. "Os dois tentam nocautear o espectador e são igualmente irreverentes", afirmou.

Seu personagem faz barbaridades para pagar um implante de silicone, convencida que isso ajudará na busca por um marido rico, mas Cameron rejeita a obsessão pela eterna juventude. "Não quero me ver nessa situação", ressaltou.

Além dos expressivos olhos azuis e enorme sorriso, a atriz chama a atenção pela magreza e aspecto juvenil, que não revelam seus quase 40 anos. "Tudo isto são horas de maquiagem", garantiu.

Seu ex-namorado, Justin Timberlake, interpreta no filme um professor rico com o qual a personagem de Cameron tem uma cena de sexo que ela mesma reconheceu como grotesca. "Mas é isso o que queríamos; é uma cena ridícula, nem sequer se beijam, é que não existe química entre eles", declarou.

O filme, que ainda não estreou nos Estados Unidos, será proibido para menores de 18 anos, mas não deixa de ser mais que uma comédia arruaceira. "É uma brincadeira, só queremos fazer rir, não tentamos solucionar problemas nem dar conselhos, mas também não queremos escandalizar", concluiu.

Fonte: contigo