Combate à homofobia faz governo manter classificação de "Insensato"

A pasta elogiou o fato de a novela mostrar "cenas e diálogos em que se expõe a realidade social de perseguição contra o segmento LGBT".

O Ministério da Justiça decidiu manter a classificação indicativa da novela "Insensato Coração", da Rede Globo, após a obra passar a veicular com mais frequência "conteúdos de natureza e de relevância social", "em especial pela valorização e respeito aos direitos homossexuais". A novela continuará a ser "não recomendada para menores de 12 anos".



A pasta elogiou o fato de a novela mostrar "cenas e diálogos em que se expõe a realidade social de perseguição, discriminação, preconceito e violência contra o segmento LGBT".

Em março passado, a Secretaria Nacional de Justiça (que trata da classificação indicativa) já havia alertado a emissora de que o conteúdo da novela não estava adequado para a classificação indicativa de 12 anos.

Em sua decisão, o secretário Nacional de Justiça, Paulo Abrão, também levou em conta que a emissora, além do combate à homofobia, fez um esforço para "abordar de forma atenuada os temas relacionados a violência e erotização que compõem a obra, como assassinato e nudez".

A decisão foi publicada nesta quarta-feira no "Diário Oficial da União".

Fonte: Ilustrada