Corpo de ex-ministro Paulo Renato é enterrado em São Paulo

Cerimônia aconteceu na manhã desta segunda no Cemitério do Morumbi

O corpo do ex-ministro Paulo Renato Souza foi enterrado na manhã desta segunda-feira (27) no Cemitério do Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. Paulo Renato Souza morreu na noite de sábado (25) em São Roque, no interior de São Paulo, após sofrer um infarto fulminante.

O enterro aconteceu nesta manhã para que as filhas do ex-ministro, que moram dos Estados Unidos, pudessem chegar a São Paulo. Estiveram presentes o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, os ex-governadores José Serra e Alberto Goldman, o senador Eduardo Suplicy, entre outros.

Emocionado, Serra disse que perdeu ?um amigo muito antigo e muito próximo?. O ex-presidente Fernando Henrique elogiou Paulo Renato e disse que seu maior legado foi a educação e inclusão do povo ao ensino.

O filho do ex-ministro, o economista Renato Souza Neto, afirmou neste domingo (26) que o momento é de tristeza, mas destacou que a morte foi ?muito serena?. ?Sei que ele estava muito feliz?, disse.

Segundo o filho, o ex-ministro estava passando o fim de semana em um resort com uma amiga. ?Ele sentiu uma tontura depois de uma dança, desmaiou e nos deixou. Foi uma coisa completamente indolor. Se eu tivesse que escolher como morrer, eu escolheria da mesma forma, mas talvez uns 20 anos mais tarde?, disse. O ex-ministro tinha 65 anos e deixou três filhos e seis netos.

Souza Neto também destacou que apesar dos compromissos da agenda do pai, ele sempre foi muito dedicado à família. ?Meu pai foi, para mim, o mais completo, mesmo com a agenda que tinha, ele sempre conseguia um tempo para estar com os filhos e com os netos. ?Era um grande amigo, uma pessoa com quem eu aprendi os valores mais importantes, como lealdade e sinceridade?, afirmou.



O velório começou por volta das 10h deste domingo na Assembleia Legislativa de São Paulo. Além de familiares e amigos, alguns políticos participaram do momento de despedida. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, chegou ao local por volta das 12h.

À tarde, o ex-presidente Fernando Henrique compareceu ao velório e disse que a morte do amigo é uma perda imensa. "Preciso dizer também que ele mudou a educação no Brasil. Os passos fundamentais do que está acontecendo agora e que vai crescer mais ainda... que é dar acesso a todas as crianças à escola. Criou o Fundef [Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental], um passo fundamental para melhorar a educação, o Enem, e fez a lei de diretrizes e bases. Por mim, deixou uma obra marcante e sempre com espírito público."

Amigo de Paulo Renato, José Serra também foi ao velório neste domingo. "Para mim, fica a lembrança de um amigo muito querido, de muitos anos. Um amigo muito próximo, pessoal e de jornadas. Para o Brasil, fica o maior ministro da Educação que já tivemos. O ministro que ficou mais anos no cargo em períodos democráticos. A educação se divide em duas etapas: antes e depois de Paulo Renato?, declarou.

Durante a tarde, também estiveram no velório os ministros da Educação, Fernando Haddad, da Cultura, Ana de Hollanda, e dos Esportes, Orlando Silva.

Infarto

Segundo informações da assessoria do governo do Estado de São Paulo, ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu. Paulo Renato deixou três filhos e seis netos.

Nascido em Porto Alegre, Paulo Renato era formado em economia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Um dos fundadores do PSDB, foi Ministro da Educação no governo Fernando Henrique Cardoso (entre 1995 e 2002) e Secretário de Educação do Estado de São Paulo no governo José Serra (entre 2009 e 2010) e no governo Franco Montoro (entre 1984 e 1986).

Fonte: Futebol Interior