Corpo de Lily Marinho é velado no Rio com presença de atores

Corpo de Lily Marinho é velado no Rio com presença de atores

O enterro será às 12h no mesmo local, segundo informações da Central Globo de Comunicação (CGCOM).

Teve início pouco antes das 9h desta quinta-feira (6), no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio, o velório de Dona Lily Marinho, viúva de Roberto Marinho, fundador das Organizações Globo. O enterro será às 12h no mesmo local, segundo informações da Central Globo de Comunicação (CGCOM).

Familiares e amigos chegaram cedo para se despedir de Dona Lily. João Baptista, seu filho adotivo, estava muito emocionado. "É muito triste. Ela me salvou a vida. Vou levar o coração dela comigo," declarou.

A escritora Nélida Piñon também esteve no velório. "Era uma mulher extraordinária. Uma amiga afável, generosa e divertida. Ela sabia dosar ironia e inteligência. Tinha elegância moral. Era uma anfitriã impecável. Nunca ostentou os benefícios que a vida lhe deu. A vida também lhe deu grandes dores, que ela soube superar. Era uma brasileira exemplar," disse.

O Prefeito do Rio, Eduardo Paes, também compareceu. "O Brasil perdeu uma grande dama, uma senhora fantástica. Ela era símbolo do Rio. Lamento muito o falecimento dela", falou.

O ex-adido do consulado francês no Rio e amigo de Dona Lily, Romaric S. Büel, esteve no cemitério. "Dona Lily era amante da vida. Uma carioca da gema com sotaque. Foi uma mãe extraordinária. Perdemos uma mulher de beleza moral e física", disse.

"Nossos encontros, apesar de poucos, sempre foram muito intensos. Uma pessoa tão generosa, ligada a cultura e a arte", disse a atriz Nicete Bruno, que chegou com seu marido, o ator Paulo Gulart. "Nao podíamos deixar de vir prestar nossa homenagem", disse ele.



"Ela era linda, delicada, elegante, só palavras boas e de carinho. Ela foi o grande amor do meu patrão. Uma senhora muito educada. Achei que ela viveria uns 140 anos. Levei um susto quando soube", disse a atriz Marilia Pera. A atriz Arlete Salles também, esteve no velório de Dona Lily.



Dona Lily morreu às 20h05 de quarta-feira (5), aos 89 anos, de falência múltipla dos órgãos. Ela estava internada na Clínica São Vicente, na Gávea, também Zona Sul, desde o dia 13 de dezembro, com infecção respiratória. Duas semanas atrás, Dona Lily havia sido transferida para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da clínica.

Filha de uma francesa e de um inglês, Lily Monique de Carvalho Marinho nasceu em Colônia, na Alemanha, mas foi criada na França. Foi em Paris que conheceu o primeiro marido, o empresário Horácio de Carvalho. Teve um filho, Horacinho, que morreu num acidente de automóvel, aos 26 anos de idade. Tempos depois, adotou um menino, que lhe deu quatro netos.

Dona Lily e Roberto Marinho se conheceram em 1941. Quase cinquenta anos mais tarde, quando a reencontrou, já viúva, Doutor Roberto se lembrava de como ela estava vestida quando se encontraram pela primeira vez. Eles se casaram em setembro de 1991. Roberto Marinho tinha 86 anos, e Lily, 70.

Com Doutor Roberto, Dona Lily ajudou a trazer pela primeira vez ao Brasil grandes exposições de artistas franceses, como Monet e Rodin. Pelo apoio e pela promoção da cultura, Dona Lily foi condecorada pelo governo da França com a Legião de Honra e homenageada pelo Ministério da Cultura do Brasil. Dona Lily é também Embaixadora da Boa Vontade da Unesco, o braço da ONU para educação e cultura.

Fonte: Terra, www.terra.com.br