Crianças violentadas tentaram filmar abuso sexual de pastor

Até esta quarta-feira (25), seis vítimas foram ouvidas, sendo que uma delas tem atualmente 25 anos

O pastor, de 69 anos, suspeito de violentar um menino e seis meninas em uma igreja evangélica de Curitiba, convidava as crianças para jogar videogame e as distraia com doces enquanto as molestava, segundo a polícia. Após perceber que a atitude do pastor era incorreta, as crianças tentaram flagrar a ação do religioso pelo celular, mas não obtiveram sucesso. Os constantes abusos foram descobertos quando uma das vítimas se cansou e decidiu contar para a mãe, que procurou o pastor chefe da igreja. A polícia estima que o pastor cometa o crime há mais de 10 anos.

Até esta quarta-feira (25), seis vítimas foram ouvidas, sendo que uma delas tem atualmente 25 anos e, segundo a polícia, foi violentada quando tinha entre 13 e 14 anos. ?A vítima alegou que como ele era o pastor ninguém ia acreditar nela e decidiu guardar segredo?, contou a delegada do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crimes (Nucria), Maricy Mortágua. As vítimas mais recentes que estão sendo ouvidas pela Polícia Civil possuem nove e dez anos. Há ainda uma criança para ser ouvida.

Mortágua, explicou que por serem muito novas, as crianças não sabiam discernir se a atitude do pastor era correta e, então, uma delas decidiu verificar. ?Ela foi estudar se aquilo podia acontecer e viu que estava errado e combinou com as outras de gravar no celular, mas deu errado?, afirmou a delegada.

Para verificar a veracidade da denúncia, foram instaladas duas câmeras na sala onde os estupros aconteciam. Uma embaixo da mesa e outra em cima do lustre. ?No primeiro dia o pastor foi flagrado com as crianças no colo, passando a mão nelas e dando dinheiro e doce. Isso na frente de outras crianças. As vítimas são testemunhas uma das outras? afirmou a delegada Mortágua.

As imagens foram levadas para o Nucria, que abriu inquérito. Mas de alguma maneira, que a polícia ainda não soube precisar, o suspeito descobriu que houve uma reunião entre os pais das crianças e o pastor chefe da igreja e fugiu. De acordo com a delegada, primeiramente, ele foi a São Paulo e depois para Manaus, onde possui uma irmã.

?Eu entrei em contato com a Força Especial de Resgate e Assalto (FERA) e o delegado Samir Freire atendeu prontamente?, destacou a delegada. Uma semana após o contato entre as polícias paranaense e amazonense o suspeito foi preso. As investigações iniciaram em novembro de 2010. O pastor está com a prisão preventiva decretada e deve ser transferido para Curitiba em breve. Ele deve responder por estupro de vulnerável. Para este crime, a legislação prevê de oito a 15 anos de reclusão.

As crianças iam para a igreja para um culto e o pastor era responsável por elas. Segundo a delegada, não é possível afirmar quantas crianças foram violentadas já que os crimes devem ocorrer há mais de 10 anos.

Fonte: G1