Curada de um câncer de mama após seis anos, atriz global Joana Fomm quer voltar ao trabalho

Curada de um câncer de mama após seis anos, atriz global Joana Fomm quer voltar ao trabalho

Aos 72 anos, ela aproveitou a reclusão para escrever um livro

Joana Fomm acaba de vencer uma luta contra um câncer de mama, detectado em 2007. Depois de cinco cirurgias, descobriu outro problema, a disautonomia, uma doença que afeta o sistema nervoso e compromete os movimentos do corpo. ?Tinha síncopes e caía no meio da rua. Cheguei a quebrar costelas em um tombo?, diz a atriz, que agora está com a saúde restabelecida e muita vontade de voltar ao batente, como conta nossa Época desta semana. ?Quero trabalhar. Estou ficando legal e me sinto pronta para fazer TV ou cinema. De teatro ainda tenho medo?, diz a veterana. O último trabalho da atriz foi em 2010 na série As Cariocas, em que atuou sentada numa cadeira no set. ?Meus músculos não tinham força para me sustentar e eu podia desabar a qualquer momento?. Aos 72 anos, ela aproveitou a reclusão para escrever um livro.

Como enfrentou as doenças?

Quando descobri o câncer fiquei pirada da cabeça. Mas, quando soube que não era ofensivo, passou esse pavor e eu consegui conviver. Nunca fiz quimioterapia, apenas tomei um remédio durante cinco anos, mas tive que fazer mastectomia e foi um bode porque fiquei sem seio, mas já estou consertando. A disautonomia é uma doença do sistema imune e causa uma queda de pressão que te faz desmaiar. Achava que estava lelé e gagá, mas era o desequilíbrio da doença. Agora tenho que tomar remédio até o fim da vida para controlá-la.

O que achou da decisão de Angelina Jolie de fazer uma mastectomia preventiva?

Achei fantástico e ela está certíssima. Faria a mesma coisa se soubesse antes. Ela também levantou muitos problemas sérios da medicina e um deles é a certeza que você é dona do seu corpo e pode fazer de tudo com ele. Eutanásia inclusive. Crime é deixar a pessoa sofrer.

Como surgiu a ideia do livro?

Costumo escrever poemas no Facebook e um editor me convidou para publicá-lo. Escrevo coisas sem censura, loucas. Mas não me pergunte o nome porque ainda não sei.

Como lida com a chegada da idade?

Fiz um lifting facial depois da Perpétua de ?Tieta? porque fazia muita careta e fiquei com o rosto marcado. Fiz reposição hormonal para a pele ficar mais jovem e para ter uma umidificação maior na vagina, porque nunca sofri os sintomas da menopausa. Só sinto falta de um companheiro. Atualmente só namoro por telefone. Vou ver se recupero meu seio esquerdo porque, por enquanto, não tenho coragem de namorar.

Falando em Perpétua, ainda é lembrada pela personagem?

Muito. É impressionante. Se fosse hoje, acho que a Ísis Valverde seria perfeita para encarnar a personagem. Ela é um deslumbre; faria uma ótima Perpétua porque não tem a ver com o papel.

Fonte: Revista Época