Documentário mostra a história por trás da Carreta Furação

Cineastas mostram o lado humano dos trenzinhos e carretas.

Sucesso nas redes sociais, possivelmente você viu pipocando em sua timeline um gif, vídeo ou meme com as piruetas e danças cheias de malemolências de garotos vestidos com trajes de personagens da cultura pop e do universo infantil. São os já conhecidos – e hoje ainda mais famosos – dançarinos dos trenzinhos e carretas de Ribeirão Preto (SP), tradicionais na cultura da cidade.

O trabalho de empresas que lançam trenzinhos como o Carreta Furacão – que tem até evento pela espera de uma turnê – é uma amostra da dimensão do negócio. Tudo isso a gente já sabe, mas quem são esses rapazes por trás das máscaras e debaixo das fantasias? A resposta é o que o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) de quatro estudantes de Audiovisual, do Centro Universitário Senac, de São Paulo, tem como principal objetivo.

O documentário “Rebolão! Mas sua irmã gosta”, produzido pelos formandos, vai mostrar a história real, sob um olhar humano, dos protagonistas que bombam na internet e que ninguém conhece. A equipe acompanhou a rotina do Trem Trio BaladaTrenzinho dos GêmeosTrio Sensação e BarulhãoFoguete da Alegria e Trio Big Folia.

A ideia de tocar o filme surgiu entre 2012 e 2013. “Foi quando o Gabriel (direção) percebeu que havia muitos outros vídeos de trenzinhos na internet. Não se tratava de dinheiro, ou de uma brincadeira isolada, mas sim uma subcultura que se mantinha em diversas cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais e aparentemente era importante para muitos jovens que viam aquilo como uma paixão, um meio de se identificar socialmente”, respondeu Gabriela Dias, diretora de produção, juntamente com o diretor Gabriel Mendes Dias.

“Inicialmente estávamos incertos quanto a escolher um lugar específico para gravar, mas ao chegarmos em Ribeirão Preto e ver a dimensão que os trenzinhos tinham, decidimos que ali era o lugar certo: muitos trenzinhos saindo à noite, muita gente indo atrás, crianças de todas as idades tomadas pelo fenômeno”, ressaltam.

O documentário agora está em processo final de edição. De acordo com Gabriela e Gabriel, quando lançado, o filme será exibido primeiramente em Ribeirão Preto para os meninos que trabalham nas carretas e moradores locais. “Vamos fazer uma ‘Premiere’ mesmo, algo grande na praça, com pipoca e tudo. Mas para isso precisamos de patrocínio, para fazer algo legal.”

Se você não é de Ribeirão, fique calmo. A equipe pretende exibir também em São Paulo e outras cidades. Além disso, depois da temporada de inscrições em festivais, vão disponibilizá-lo no YouTube.


Assista ao trailler do documentário





Fonte: Com informações Catraca Livre