Em entrevista exclusiva, Zezé di Camargo e Luciano garantem show especial em THE

Em entrevista exclusiva, Zezé di Camargo e Luciano garantem show especial em THE

Dupla disse que vão trazer repertório do novo CD e sucessos que marcaram a carreira. O foco será no amor

O melhor lugar para comemorar o Dia dos Namorados será neste sábado, 12, na Arena Show do Teresina Shopping, curtindo todo o romantismo de Zezé Di Camargo e Luciano. O evento tem a participação especial de Forró Pipocado e Taty Girl. Para o show, o espaço foi devidamente decorado e as mesas ganharam um design especial que remetem ao amor, paixão e desejo.

Para o show em Teresina a dupla fez um repertório especial. Na entrevista que concedeu ao Jornal Meio Norte, a dupla declara que fará um show mais renovado, incluindo canções do novo CD e também revisita composições do início da carreira.

Meio Norte - Qual a perspectiva para mais esse show em Teresina?

LC - Podem esperar um show mais renovado, com muitos arranjos abastecidos por teclados, baixos, guitarras e baterias. Está mais moderno. Cantamos algumas músicas do novo CD e também revisitamos músicas do início de nossa carreira, mas com arranjos mais modernos. É uma ?janela? que criamos no show, em que pedimos para o público solicitar sucessos mais antigos. Vamos apresentar músicas do novo trabalho como ?Tapa na Cara?, ?Ainda Ontem Chorei de Saudade/Telefone Mudo? e ?Do seu lado?.



MN - O que espera do público nessa volta à cidade?

ZC ? O mesmo carinho de sempre. Sempre fomos muito bem recebidos.

MN ? Como será o show?

ZC- Fizemos um repertório especial. Vamos cantar: Vem Ficar comigo, A ferro e fogo, Pra mudar minha vida, Antes de voltar pra casa, Do seu lado (que tem um momento solo do Luciano. É uma música do Nando Reis que foi gravada pelo Jota Quest), Sufocado, Coração está em pedaços, Na hora H, Saudade Bandida, Como um anjo, Ainda Ontem Chorei de saudade, Telefone Mudo, Sem medo de ser feliz, No dia em que saí de casa, É o amor, Saudade, Mexe que é bom, Pão de mel, Galera felicidade e a inédita Tapa na Cara.

LC - Como você pode perceber pelo repertório a gente mescla músicas do novo CD, lançado há um mês, como ?Tapa na Cara? e ?Do seu lado? com hits como Na Hora H, Saudade bandida e Coração está em Pedaços do início de nossa carreira, nos anos 90.

MN - O romantismo é uma marca das letras da dupla?

ZC ? O amor nunca sai da moda. A gente canta o amor, fala sem rodeios, do jeito que o povo gosta, fala direto ao coração.

MN - O amor é o melhor tema de ser cantado? É a principal fonte de inspiração?

ZC ? Como disse, o amor, em qualquer gênero musical, é o que mais faz sucesso. Se você pegar uma música de sucesso no rock vai ver que aquela música mais tocada deste ou daquele grupo é a que fala de amor.



MN - Qual o segredo para se manter sempre na parada de sucesso? Enquanto alguns ficam nas regravações, vocês sempre saem com inéditas e que estouram. Que fenômeno é esse?

LC - Não existe segredo. Existe o reconhecimento do público e da crítica. A música sertaneja faz parte da cultura do país, portanto, a cada ano surgem novas duplas e compositores excelentes. O gênero sertanejo não é modismo. A nossa origem é sertaneja, nunca negamos e não acreditamos que algum dia o nosso gênero tenha morrido ou venha a morrer. Até porque faz parte da cultura do país. Com certeza, o filme serviu para enriquecer ainda mais o nosso repertório, veio para mostrar uma história como a de milhões de brasileiros, de migrantes e imigrantes que sonham e lutam por uma vida melhor. Por conta de tantos sucessos que vem surgindo, cremos que o preconceito acabou. Hoje, a música sertaneja e os shows do gênero são consumidos por jovens em sua maioria.

ZC - Não existe segredo. Existe o respeitar o que o seu público gosta. A gente não se reinventa. A gente sempre cantou o amor. Você vê alguma diferença? Nunca entramos em modismos. Tocamos e cantamos com a mesma linha que nos fez conquistar o Brasil em 1991, quando lançamos. O que muita gente faz hoje com o pessoal do axé music, a gente já fazia. Em 1994, eu e Luciano cantamos no trio do Asa e o Durval cantava em ritmo de axé as nossas músicas. Também cantamos como Chiclete. Em 2000, cantamos no trio do Carlinhos Brown, do Asa de novo e ouvimos todos cantando novamente nossas músicas. Em 2007, subi no palco com a Ivete Sangalo. Até onde sei Bruno e Marrone cantaram com Claudinha Leite e com o Asa também. Não é novidade. É fato e continuidade. É claro que há músicas do que vocês chamam de sertanejo universitário que falam de noitadas e tudo o mais. Mas há músicas extremamente românticas por parte destes artistas. Cantar o amor é o que prevalece. Se você analisar os grandes sucessos nacionais e internacionais até de rock, as músicas que mais se sobressaem falam de amor. Nós também temos e sempre tivemos músicas bem ?animadas? como ?Mexe que é bom?, ?Menina Veneno? (regravação do Ritch), ?Vou levar você, ?Galera Felicidade? e tantas outras.

MN - Qual a emoção em cada palco, cantar para uma multidão de fãs?

ZC ? É uma emoção a cada cidade. Gente, não existe nada melhor para um artista do que ver aquele público todo acompanhando suas músicas.

MN - Há possibilidade de um novo filme da dupla?

ZC ? Não. Não, mesmo. Saiu um boato sobre o segundo filme. ?2 Filhos de Francisco? contou tudo o que tinha de falar sobre a gente até a gente alcançar o sucesso. O que deixou de falar foi de é o amor para cá e todo mundo já conhece.

MN - Sobre o novo CD Double Face, lançado há um mês e que já atingiu a marca de 90 mil cópias vendidas.

ZC - É a realização de um sonho: eu sempre quis gravar um CD de modão. São dois CDs: um só de inéditas com músicas na linha do que costumamos gravar em nossos CDs. O outro traz só modões, regravações de músicas sertanejas dos anos 90 a 2008, mas fomos fiéis às gravações originais. Chamamos até o maestro que gravou com Trio Parada Dura e Chitão e Xororó.

MN - O que representa a vendagem de discos?

ZC ? Representa o reconhecimento do público, mesmo em época de pirataria e desta loucura de baixar música pela internet. A gente lançou CD há um mês e já estamos com 90 mil cópias vendidas. Em 19 anos de carreira, já atingimos a marca superior de 30 milhões de cópias.

MN- A cada novo lançamento a carreira é consolidada?

ZC ? Sem sombra de dúvida. O sucesso deste nosso novo trabalho é sinônimo. Quem hoje em dia consegue vender quase cem mil em 30 dias?

MN - Tem pretensão de carreira internacional?

ZC_ Já lançamos dois CDs em espanhol e fizemos várias turnês na Espanha, Portugal, Japão, EUA, Inglaterra e divulgações no Chile, México e Espanha. Em setembro, vamos fazer show em Nova York no Brazilian Day.

MN - Proposta de lançamento em outros idiomas?

ZC - Ainda não. Mas continuamos em turnê fora do Brasil.

Serviço

· Locais de Venda

- MESAS: SEDE DO PIAUI FEST - Avenida Dom Severino, 879 ? Fátima

- PISTA: TERESINA SHOPPING e LOJAS NOROESTE

- Ingressos 25,00 ou 30,00 direto no cartão (Sede da Dom Severino e Teresina Shopping

Informações: 3235.9995, 8819 2387



Fonte: Isabel Cardoso, Jornal Meio Norte