Ex-BBB Daniel se livra de 2° acusação de estupro e declara: "Justiça foi feita"

Segundo advogada, modelo foi absolvido por insuficiência de provas

O ex-participante do Big Brother Brasil 12, da TV Globo, Daniel Echaniz, foi absolvido da acusação de estupro de vulnerável apresentada pela modelo brasileira Tatiane Eyng. A informação é da advogada do ex-BBB, Elizeth Alvim de Souza Mello. Daniel foi expulso do programa após a suspeita de estupro contra Monique Amin, também participante daquela edição. O caso ocorrido no reality show não chegou a virar processo. Por unanimidade, a Justiça determinou o arquivamento do inquérito policial por insuficiência de provas.


Ex-BBB Daniel se livra de segunda acusação de estupro:

De acordo Elizeth, na semana passada, o Ministério Público pediu a absolvição do réu no processo que corria em São Paulo, mais uma vez, por ?insuficiência de provas?.

Durante entrevista ao Domingo Espetacular, da Rede Record, em janeiro de 2012, a modelo relatou que havia sido estuprada em 2010, na Itália. O ato, segundo afirmou, aconteceu no momento em que estava dormindo. Tatiane contou que morou com Daniel e a ex-namorada dele em Milão, onde os três trabalharam como modelo. Ela disse que era assediada constantemente por ele, que mandava mensagens pornográficas por telefone e que, certa vez, chegou a entrar nu no banheiro enquanto ela tomava banho. A modelo afirmou que resolveu denunciar após o episódio no Big Brother.

Ela fez uma queixa-crime, que se transformou em processo na Vara Central de Violência Doméstica e Familiar da Capital. De acordo com a advogada, cinco audiências foram realizadas, mas Tatiane não compareceu a nenhuma. O endereço da modelo não foi localizado. Já o companheiro de Tatiane, que estava entre as testemunhas, alegou que mora no exterior, conforme a advogada.

Aliviado com a absolvição, Daniel Echaniz contou que, quando soube da acusação de Tatiane, ficou surpreso. Para ele, a modelo pretendia apenas se promover.

? Eu e a minha namorada na época fomos as pessoas que mais ajudaram a Tati, em todos os sentidos, desde financeiramente até indicá-la para trabalhos em Milão [...] Acho que fiquei com pena no sentido do ser humano ser pequeno assim. De fato, o que vejo com toda essa atitude da Tati foi só querer aparecer. Ela sempre quis aparecer. Só que escolheu a pior forma possível, no pior momento, na desgraça dos outros.

Daniel ironizou o fato de Tatiane não ter comparecido às audiências.

? Acho surreal. A pessoa vai em cadeia nacional dizer: ?O cara me estuprou?. Ela apareceu, falou, fez tudo o que quis fazer e na hora em que ela tinha que ir ao fórum, defender o lado dela, e realmente mostrar que se de fato eu fiz, ela some. A mãe da mulher não sabe onde ela está. O marido da mulher não sabe onde ela está. Ela virou o quê? Um fantasma?

A advogada Elizeth Alvim de Souza Mello afirmou que tomará providências contra a modelo.

? Foi uma denunciação caluniosa, uma falsa comunicação de crime. Existe um fato criminal. E existe também a parte de que ele [o cliente] perdeu trabalho. São danos morais, materiais, principalmente, os danos morais.

Daniel fez coro e disse que o caso ainda não está encerrado.

? Acho que agora eu tenho pena dela. A Justiça foi feita, mas ainda não acabou. Isso é uma fatia do bolo. Acho que agora, já que ela apontou o dedo, ela tem três dedos apontados para ela. Ela vai ter que segurar a rebarba.

Fonte: r7