Ex de Clodovil pede à Justiça reconhecimento de união estável

O homem em questão é reservado e não quer revelar sua identidade

Morto em março de 2009 sem deixar filhos ou herdeiros, Clodovil Hernandes designou toda a sua herança a uma fundação criada para preservar sua memória e fazer ações sociais. Porém, corre na Justiça um processo de reconhecimento de união estável, movido por um ex-colaborador de sua equipe. O homem, que não quer mostrar sua identidade, afirma ter tido um relacionamento afetivo com o estilista durante anos.

O ex-assessor de imprensa de Clodovil, Maurício Petiz, confirmou o processo e disse que, em respeito à privacidade de ambos, não se sente à vontade em falar sobre o assunto.

?Existe o processo, mas em primeira instância não houve o reconhecimento, e eu suponho que isso vá ser recorrido, mas isso aconteceu logo após da morte do Clodovil. Eles se conheceram a muitos anos, antes mesmo de eu conhecer o Clodovil, a pessoa em questão é super-reservada e não gosta de falar, eu também me sinto pouco à vontade em falar sobre isso?, declarou.

Em entrevista, o assessor cogitou que o reconhecimento da união estável poderia ser uma vontade também de Clodovil.

?Quando Deputado ele [Clodovil] apresentou um projeto de união estável homossexual, quem sabe ele não fez isso pensando que no futuro poderia regularizar a sua situação também??, avaliou Petiz.

Caso a união estéval seja reconhecida pela Justiça, o companheiro de Clodovil pode requerer seus direitos.

Fonte: O Fuxico