Ex-RBD gay diz que apoia o cantor Ricky Martin

Ex-RBD gay diz que apoia o cantor Ricky Martin

Ele disse ainda que fãs brasileiros são especiais e

Ele era o Rebelde de cabelos coloridos e, junto com o RBD, grupo mexicano criado em 2004, vendeu mais de 12 milhões de discos. O tempo passou, os fãs cresceram e, em 2008, cada um dos integrantes da banda adolescente tomou um rumo diferente.

Christian Chávez sempre foi o mais polêmico do grupo. Em 2007, depois que vazaram fotos dele com um rapaz, ele assumiu sua homossexualidade. Agora, ele lança seu primeiro CD solo, Almas Transparentes.

Em entrevista ao R7, o cantor fala sobre a recente declaração de Ricky Martin, que também revelou que é gay, e o que os fãs podem esperar de seu novo trabalho.

R7- Há alguns anos, assim como Ricky Martin, você decidiu assumir a sua homossexualidade publicamente. O que achou da revelação do porto-riquenho?

Christian Chávez - Achei que foi maravilhoso o que ele fez. Foi um passo importante para ele como ser humano e para toda a comunidade gay. Também é algo que nos faz ver que os seres humanos são diferentes e que todos temos direitos iguais.

R7 - Assumir ser gay atrapalhou a sua carreira? Como foi a reação dos fãs?

Chávez - Os fãs aceitaram a minha honestidade de uma forma muito positiva. Obviamente, nem todos estão de acordo com a minha forma de viver, mas hoje sei que os fãs que tenho são os que me querem como eu sou. E isso é algo que não se pode comprar.

R7 - Em 2006, durante uma tarde de autógrafos do RBD em um estacionamento em São Paulo, três pessoas morreram por conta de uma confusão provocada pelo excesso de fãs. Naquela época você imaginava que tinha tantos admiradores por aqui?

Chávez - Aquela era primeira vez que o grupo visitava o Brasil e não sabíamos como seria a reação do público. Foi um dos momentos mais fortes da minha vida. A notícia das mortes nos deixou em choque.

R7 - E quem são seus fãs atualmente? São os mesmo que você tinha quando fazia parte do RBD?

Chávez - Há muitas pessoas que me acompanham desde a época do grupo, mas muitos também são novos. Gosto muito que as pessoas ouçam a minha música sem me julgar pelo rótulo.

R7 - Quando preparou seu novo CD pensou em agradar aos fãs do RBD?

Chávez - Pensei em ser eu mesmo e em mostrar às pessoas a minha proposta musical. Eu gosto muito de pop, então é isso o que vão ouvir no meu disco. O que eu vivi com o grupo foi maravilhoso, inesquecível. Mas agora tenho a oportunidade de começar um sonho.

R7- Planeja fazer shows no Brasil?

Chávez - Estamos negociando algumas datas e provavelmente vou ao país em breve.

R7 - Quando estava no grupo teen, cantou em português. Pretende fazer isso de novo?

Chávez - Há uma versão em português da canção Aún Sin Ti que não entrou no disco e será uma surpresa para os fãs. A música ganhou o nome Mesmo Sem Tí, e a fiz especialmente para os fãs brasileiros. Vou lançá-la quando for ao país.

R7 - Por que decidiu fazer a homenagem?

Chávez - Amo toda a América Latina, mas o Brasil é um país pelo qual tenho um carinho muito especial. O português é um idioma divino.

Fonte: R7, www.r7.com