Falsa grávida de Taubaté responderá na Justiça por usar ultrassom de outra mulher

Falsa grávida de Taubaté responderá na Justiça por usar ultrassom de outra mulher

Em janeiro, Ana Paula disse que as imagens estavam em um blog que mantém desde sua gestação

A pedagoga Maria Verônica Aparecida dos Santos, que ficou conhecida por inventar uma falsa gestação de quadrigêmeas, responderá na Justiça por ter apresentado à imprensa imagens de um ultrassom encontrado na internet como se fosse dela.

A administradora de empresas Ana Paula Mückenberger Alves, 29, de Blumenau (SC), entrou com uma ação nesta semana pedindo que Maria Verônica pague por danos morais causados a ela e ao filho, hoje com um ano e seis meses.

Em janeiro, Ana Paula disse que as imagens estavam em um blog que mantém desde sua gestação.

Ela, que havia publicado uma montagem com quatro fotos do ultrassom do filho Pietro, afirmou ter ficado surpresa ao ver Maria Verônica dizer, em um programa de TV, que as imagens eram das quatro filhas que esperava.

O advogado Rubens Garcia disse que Ana Paula passou por constrangimentos, foi exposta pela mídia e chegou a ser apontada como participante de um "conluio" com a falsa grávida. Ele não disse qual o valor pedido na ação.

Para incluir o menino como parte na ação, o advogado disse ter se inspirado no caso da cantora Wanessa. Durante a gravidez dela, o feto foi um dos "autores" de um processo movido contra o humorista Rafinha Bastos após uma piada feita por ele.

Enilson de Castro, advogado de Maria Verônica, disse que não poderia se manifestar por desconhecer a ação.

Em Taubaté (SP), onde Maria Verônica mora com o marido e o filho, a Polícia Civil abriu inquérito em janeiro para apurar se a pedagoga agiu de má-fé. A investigação ainda não foi concluída.

Castro afirmou que os presentes recebidos pela pedagoga durante a falsa gestação foram devolvidos ou doados.

Fonte: UOL