Andressa Urach deixa o hospital após 12 dias internada

A intenção é combater uma forte bactéria que está alojada em seu corpo. Se não for combatida, Urach poderá voltar para o hospital com uma nova infecção.

 Depois de passar 12 dias internada por conta de uma infecção nos glúteos devido a bioplastia que injetou PMMA em seu corpo, Andressa Urach deixou o Hospital Alvorada, em São Paulo, nesta quarta-feira, 11. Ainda caminhando com dificuldades e precisando da ajuda de uma cadeira de rodas, a apresentadora seguiu para casa com um cateter no braço. Ela o usará durante um ano. Pelo cateter, será aplicada uma dose diária de antibiótico. A intenção é combater uma forte bactéria que está alojada em seu corpo. Se não for combatida, Urach poderá voltar para o hospital com uma nova infecção.

 "Fui muito mimada aqui no hospital. Agradeço a todo mundo. Foi um trabalho com muito amor", disse a apresentadora em agradecimento aos funcionários que cuidaram dele durante as últimas semanas. Levada em uma cadeira de rodas até o carro, ela distribuiu sorrisos e posou fazendo um coração com as mãos. "Estou superfeliz. Gosto de dizer para as pessoas: 'Você que está passando por um problema de saúde, tudo pode mudar. Mas tem de ter uma fé inabalável'", contou.

Urach também não esconde que os últimos dias foram difíceis. "Tem dias em que eu fico triste, mas aí no outro eu acordo feliz por ter mais um dia de vida. Eu creio na minha recuperação. Por mais que os médicos digam que não tem como retirar o PMMA, eu creio no Deus do impossível. É uma luta. O que seria de um guerreiro se não fossem as cicatrizes para exibir?", afirmou ela.

Agora, a fase é de cuidar da saúde, mas Andressa não vê a hora de voltar à ativa. "Sou uma pessoa agitada, então claro que estou morrendo de vontade de voltar a trabalhar. Mas acho que na vida temos que ver o lado bom de tudo. Nasceu uma nova pessoa. Eu fui pela dor. Estou feliz de estar viva. Cuidar da minha saúde é prioridade", completou ela, falando ainda sobre a possibilidade de enfrentar novas internações por conta do PMMA que ainda tem no corpo: "Os médicos falam de muitas hipóteses. O fato de eu ter em muitos lugares ainda pode causar rejeição. Coloquei no rosto, na perna, no bumbum. E o PMMA não pode ser retirado. O hidrogel você ainda tira, claro que quase morri de sepse, mas o PMMA é muito pior porque fica no músculo". Questionada se já sentiu medo de morrer durante esse tempo que está lutando contra infecções no corpo, ela disse: "A morte é uma coisa prevista para todos nós, posso atravessar a rua e morrer atropelada. Deus não faz nada por acaso. Acho que Ele me usou para dar um basta no uso desses produtos.

Andressa contou que terá a ajuda de uma unidade de home care em casa. "Meu estado geral é bom! Mas a bactéria é resistente. O cateter vai direto para uma veia do coração e tenho que tomar muito cuidado. É preciso ter muita atenção com a higiene e a troca do curativo. O cateter não pode ser molhado e toda a vez que for tomar banho preciso colocar um plástico cobrindo o local", explicou ela.

Na véspera de ter alta, ela escreveu um post de desabafo no Instagram. Nele, Andressa disse que apesar da dor os dias que passou internada a fizeram meditar na vida. "Não quis ler nada de notícias do mundo, nem ver novelas que, sinceramente, hoje não me agradam, pois influenciam tantas coisas ruins...  Confesso que hoje sinto até náusea em ver muitas novelas. Então prefiro muitas vezes ficar em silêncio, ouvir músicas com letras positivas e que tragam alegria! Nada de música que me lembre abandono ou amor não correspondido, estou como em um processo de desintoxicação de pensamentos ruins, pensamentos estes que me acompanharam durante 27 anos da minha vida, e sou muito agitada e dificilmente paro quieta. E Deus é tão maravilhoso que faz tudo certo na hora certa, estes dias me ajudaram a crescer espiritualmente, analisar tudo, absolutamente tudo desde o dia que Deus permitiu que eu estivesse no ventre da minha mãe. Estou tão feliz, tão em paz como nunca estive!", escreveu ela.

 Segundo Andressa, o PMMA foi aplicado por Almir Nácul, um cirurgião plástico de Porto Alegre, especializado na bioplastia - a cirurgia plástica sem cortes. A apresentadora contou que foram vários os procedimentos que fez com ele.  Ela garante que nenhum foi de graça e que pagou caro pelas transformações. “A bioplastia no rosto custou R$ 6 mil; o PMMA no bumbum foi R$ 18 mil. Nas pernas não lembro muito bem quanto gastei, mas no total foi algo em torno de R$ 40 mil. Coloquei também na panturrilha e parte posterior da coxa. Eu que sugeri dele colocar isso tudo em mim, mais e mais... Fizemos tudo isso em várias etapas, mas ele nunca me disse que teria problema. Esse PMMA eu apliquei no glúteo - depois que ganhei o Miss Bumbum, deixando bem claro! Repetindo: apliquei na panturrilha, nas duas coxas e no posterior da coxa”, disse Andressa.

Andressa disse que desde que começaram as complicações em seu corpo por conta do PMMA, Almir Nácul não a procurou. Ela pensa em ser ressarcida por ele de forma pacífica. "Só o antibiótico que tenho que tomar durante um ano custa R$ 350. Estou esperando um acordo com ele sem brigas na Justiça. Não gostaria de ter que processá-lo. Minha mãe já achou todas as receitas e comprovantes de pagamentos para a clínica do Nácul. Não quero mal a ele, pelo contrário, sempre gostei muito dele. Tanto que confiei ao Dr. Almir a bioplastia que fez em quase todo o meu corpo", disse

Fonte: Ego