Em nota, repórter assediada por MC Biel fala sobre sua demissão

A jornalista disse que ainda tenta entender o porquê de demissão

Repórter que denunciou o cantor MC Biel de assédio fez um comunicado oficial e disse que ainda "busca entender o porquê" de ter sido demitida do IG. Para justificar a demissão, a empresa alegou ter tomado a decisão por uma questão de reestruturação. O fato causou indignação nas redes sociais.

No comunicado, a ex-repórter do IG afirma "que seu objetivo sempre será de defender a sua honra como mulher e também de sua classe profissional" e agrand ainda o apoio recebido.

De acordo com Ana Paula Cortez, advogada que defende a repórter, a jornalista foi vítima duas vezes: na entrevista ao ser assediada pelo MC e na polêmica demissão. “A demissão a desestruturou. A empresa havia prometido assistência e apoio e não cumpriu o acordo a demitindo dois dias após uma reunião com a gente”.

A advogada não informou se sua cliente pretende ingressar com ação por danos morais contra o cantor ou a empresa. A família está muito assustada com esta exposição toda. Ela não quer dinheiro, só queria ser respeitada e servir de exemplo para colegas de trabalho”, disse a advogada.


MC Biel
MC Biel


Leia o comunicado na íntegra:

Ex-repórter do IG, por seus advogados, vem apresentar nota de esclarecimento sobre os últimos acontecimentos: Após a divulgação pela mídia, dia 03/06, do episódio envolvendo a repórter e o MC Biel, o portal IG determinou que a mesma se licenciasse de suas atividades por tempo indefinido. A jornalista optou por voltar ao trabalho poucos dias depois. Neste momento, diante de sua demissão no dia 17/06, busca entender oporquê desta atitude e os possíveis reflexos em sua carreira. Seu objetivo sempre será o de defender a sua honra como mulher e tambémde sua classe profissional. A jornalista agradece todo o apoio que tem recebido e a mobilização de diversos grupos indignados com o ocorrido, reiterando sua vontade de ter todos os fatos esclarecidos ao público no momento oportuno.









Fonte: extra