"Eu já não estava feliz com a dupla", diz Renner ao falar de ex-companheiro

Na ocasião, ele foi preso em flagrante e estava visivelmente alcoolizado.


O cantor Renner, de 43 anos, falou pela primeira vez sobre o acidente que provocou no dia 26 de dezembro, sem feridos, na zona sul de São Paulo. Na ocasião, ele foi preso em flagrante e estava visivelmente alcoolizado. O músico deixou a delegacia depois que Rick, o seu ex-companheiro de dupla, pagou a fiança de R$ 10 mil.

Na noite deste domingo (18) -- em entrevista ao "Domingo Espetacular", da TV Record -- o cantor deu a sua versão sobre o ocorrido: ele admitiu o uso de bebidas alcoólicas, mas negou ser alcoólatra. "[Estava] totalmente errado. Eu errei e vou lutar para que isso nunca mais aconteça na minha vida."

Renner disse que bebeu porque estava abalado por não ter dinheiro para passar o Natal com a mãe. "Eu queria ir para Brasília e os preços das passagens estavam altíssimos, e não tinha dinheiro para ir", contou. "Algumas coisas [na vida] eu perdi por isso [a bebida]. Existe o alcoólatra que bebe todos os dias, que faz o uso para se estabilizar, mas eu sou diferente. Se eu beber uma garrafa, acabo passando do limite", alegou.

Ao falar sobre o fim da dupla com Rick, Renner reclamou da falta de apoio do ex-companheiro. "Eu estava na minha recuperação, estava fragilizado. Eu sabia que o Rick não teria piedade, que ele chegaria para mim e diria 'olha, bicho, acabou a dupla'. Estava com medo. Esperava que ele fosse lá, dizer 'ele errou, vou acabar a dupla, mas, no momento, vou poupar a imagem dele'", afirmou.

"Eu já não estava feliz [com a dupla] e o Rick sabe que as coisas não estavam bem. Eu estava insatisfeito porque, em primeiro lugar, eu sou artista, tenho a música dentro de mim, e o mundo musical mudou muito. Depois que as gravadoras foram embora, tudo é dinheiro. Eu saio livre porque não quero ser estorvo na vida de ninguém", completou.

Renner disse também que ganhava menos do que Rick (um salário fixo de R$ 15 mil), e que não tinha poder de decisão na dupla.O programa entrou em contato com Rick, mas o cantor não quis rebater as críticas.

O outro lado

Durante participação no "Encontro com Fátima Bernardes", da Globo, Rick se defendeu de críticas, negou ter abandonado o ex-companheiro e disse que tentou falar com Renner, mas sem sucesso. "Por incrível que pareça, ainda não tive oportunidade de falar pessoalmente com o Renner. Após o acidente, ele foi para uma clínica [de reabilitação] em Florianópolis (SC), onde ficou por alguns dias. Liguei para ele, mas não sei por qual motivo ele pediu para o rapaz da clínica falar comigo. Talvez ele não tivesse muita coisa para falar comigo", desabafou Rick.

Após a recusa de Renner, Rick comunicou o fim da dupla ao ex-companheiro através do aplicativo WhatsApp. Ainda durante a entrevista, Rick confirmou que pagou do próprio bolso a fiança de R$ 10 mil e os prejuízos causados ao carro envolvido na batida. Ele ainda rebateu críticas e negou ter abandoado Renner. "Eu só quero deixar bem claro para que ninguém diga que eu abandonei o Renner ou coisa parecida. Eu me propus a dar respaldo financeiro ao Renner por um ano, para que ele se equilibre financeiramente", anunciou.

Acidente

Renner, 43 anos, foi detido na manhã do dia 26 de dezembro após bater em um carro na zona sul de São Paulo. Não houve feridos. De acordo com um dos policiais da 27° DP, no Campo Belo em São Paulo, o músico deixou a delegacia depois de pagar R$ 10 mil de fiança.

O músico estaria voltando de uma festa, acompanhado de um rapaz quando colidiu a sua BMW X5 em um Fiat Uno que estava estacionado na avenida Pedro Bueno, no Campo Belo, por volta das 8h10. Desocupado, o carro foi arrastado por alguns metros. O cantor ainda teria tentado fugir duas vezes, mas os pneus do carro teriam estourado.

Renner foi submetido ao teste do bafômetro, que apontou 1,0 decigrama de álcool, quase três vezes acima do limite permitido por lei, de 0,36. Depois, o cantor foi levado para a delegacia da região. O homem que estava no banco de passageiro do carro do cantor prestou depoimento para os policiais e depois foi liberado.

Segundo a Polícia Civil, não há confirmação se eles eram amigos. Renner também foi submetido a exame de sangue no Instituto Médico Legal (IML). O cantor foi autuado por embriaguez ao volante e tentativa de fuga. O caso será encaminhado para a Justiça. De acordo com o delegado Antônio Augusto Rodrigues da Silva, a habilitação de Renner estava vencida desde 2010 e ele poderá ter o documento cassado, além de perder o direito de dirigir.

No início de janeiro, Rick usou o seu perfil no Instagram para anunciar o fim da dupla: "Tenho 48 anos de idade e não tenho mais tempo para construir castelos de areia. Vou ajudar o Renner em tudo o que eu puder, que tiver ao meu alcance. Mas tenho filhos, tenho netos e uma vida passando depressa. Deus sabe o quanto lutei por Rick e Renner. Mas hoje afirmo, com toda a certeza, que só vou até aqui", escreveu o cantor na rede social.

Outros casos

Essa não é a primeira vez que Renner se envolve em um acidente de trânsito. No dia 20 de agosto de 2001, no quilômetro 144 da Rodovia Luiz de Queiroz (SP-304), em Santa Bárbara, Renner foi responsável pela morte do engenheiro químico Luís Antônio Nunes Aceto e de Eveline Soares Rossi. O casal trafegava em uma motocicleta no sentido Piracicaba-Campinas quando foram atingidos pela BMW do cantor.

A rodovia possui pista dupla, mas, ainda assim, o carro do sertanejo ficou desgovernado, atravessou a pista e atingiu o casal, que morreu na hora. Segundo a acusação, ele trafegava em alta velocidade, próximo de 160 quilômetros por hora. Renner foi condenado a pagar 2 mil salários mínimos (valor que hoje corrigido já estaria perto de R$ 3 milhões) e o prazo para quitar a indenização venceu há quatro anos.

Até hoje os familiares das vítimas dizem ter recebido somente cerca de R$ 300 mil por meio da penhora de direitos autorais do músico. Em 2013, Renner aceitou pagar uma multa de R$ 244 mil, além de prestar serviços comunitários, para se livrar de uma pena de três anos e seis meses de detenção pelo envolvimento dele no acidente. O sertanejo pediu também o parcelamento do valor.

A condenação, de homicídio culposo – sem intenção – constará na ficha criminal do cantor. A sanção financeira será destinada para entidades públicas ou privadas, preferencialmente de educação para o trânsito ou atendimento à vítimas de trânsito, a critério da Vara de Execuções Criminais. Apesar de a sentença ter sido proferida em outubro de 2007, Renner, até então, não tinha se apresentado ao Judiciário e aceitado pagar a multa.

O prazo final para que ele o fizesse venceria em 30 de março. Se não o fizesse, ele seria considerado foragido. Mas, como se apresentou em 25 de fevereiro e aceitou a multa, não será preso.

Em agosto deste ano, familiares das vítimas conseguiram na Justiça bloquear bens do cantor Ivair dos Reis Gonçalves, o Renner da dupla Rick e Renner. A medida também foi estendida a empresas ligadas ao sertanejo para evitar que ele deixe de pagar a indenização imposta pela Justiça, segundo a Agência Estado.

 

 

 

 

 

Fonte: UOL