Mulher de Roberto Bolaños 'não para de chorar', diz jornal

Florinda Meza, casada com o ator, estava com ele na hora de sua morte, diz a reportagem do jornal 'El Universal'.

O corpo de Roberto Bolaños será levado para a Cidade do México, nas próximas horas, de acordo com informações dadas por parentes do ator ao jornal "El Universal". Eles também contaram ao periódico que Florinda Meza, mulher do intérprete de Chaves, "não para de chorar". Florinda estava com o marido na hora de sua morte.

Após mais de duas décadas passando férias em Cancún, onde morreu, Bolaños decidiu fixar residência no local, onde vivia há três anos. Durante dois anos, ele manteve conta no Twitter e ocasionalmente interagia com mais de seis milhões de seguidores na rede social. Muitos jornalistas estão em Isla Dourada, onde morava o ator com a família, mas estão sendo mantidos longe da casa onde ele vivia.

O ator mexicano Roberto Bolanõs, mais conhecido como o intérprete do 'Chaves' faleceu na sexta-feira, 28, aos 85 anos. Ele estava em Cancún, onde vivia com a mulher, Florinda Meza. Famosos usaram as suas redes sociais para lamentar a morte do ator:


 Um dos primeiros a comentar foi o ator Edgar Vivar, intérprete do personagem Senhor Barriga no seriado. "Roberto não se vai, permanece no meu coração e no de todos que te assistiram felizes por tantos anos. Adeus, Chaves. Até sempre".

Maria Antonieta De Las Nieves, a intérprete de Chiquinha também usou a rede social para falar sobre a perda do ator. "Obrigado por fazer tanta gente feliz e por todos os momentos maravilhosos que compartilhamos no grupo. Descanse em paz, Roberto".

Rubén Aguirre, mais conhecido como o 'Professor Girafales' do programa, falou à Televisa sobre a perda do companheiro de elenco. "Diziam que brigávamos, mas sempre fomos amigos. Era um excelente diretor e escritor. Fomos muito companheiros. Era um homem muito inteligente." Ele ainda acrescentou: "Quando eu dizia para ele que era um gênio, ele me dizia: 'não, Rubens. São muitas horas sentado escrevendo. então sua rotina era trabalhar, trabalhar, trabalhar".

Fonte: Ego