Fanática por Eliéser se atola em dívida para presentear ex-BBB

Os admiradores do namorado de Cacau tecem as opiniões apaixonadas a seu respeito

Quando estava confinado no ?Big Brother Brasil 10?, alguns achavam Eliéser ciumento, possessivo e machista. Para muitos, o engenheiro agrônomo de Goierê, interior do Paraná, parecia bobo e sem carisma. Essa impressão, no entanto, não era unânime. Eliéser encantou telespectadores do Brasil e do mundo e ganhou fãs, digamos, fanáticos por ele. Muito fanáticos.

Os admiradores do namorado de Cacau tecem as opiniões apaixonadas a seu respeito com adjetivos como iluminado, carismático, humilde. Para agradar o ídolo, não poupam nos mimos e parecem não se importar em gastar pequenas fortunas em presentes ao ex-BBB. Por exemplo: em maio, quando completou 26 anos, Eliéser foi surpreendido com um quarto do líder montado em sua casa no Paraná e ainda ganhou R$ 7 mil em dinheiro. Mas quem são esses fãs?

U ma parte desses presentes veio de uma enfermeira de 49 anos. Heloísa (ela pediu para não ter seu sobrenome publicado), que vive em Montes Claros, no interior de Minas Gerais, comprou sozinha e a prestação uma TV de LCD de 32 polegadas e um frigobar para presentear Eliéser - a quem nunca viu pessoalmente. Os presentes foram entregues na casa onde o rapaz vive com a família em Goierê.

Enfermeira há 20 anos, Heloísa é casada e mãe de três filhos. Dos três netos, a mais velha, Giovana, de 8 anos, foi sua companhia para assistir às festas do ?BBB?. ?Todas as quartas-feiras e sábados, quando tinha festa no programa, a gente dançava o ?Rebolation? com o Eli. E não tínhamos hora para dormir, só íamos deitar quando ele dormia. Gosto dele como se fosse meu filho! É um menino humilde, bom, tem luz. Quando ele deixou a casa, precisei tomar calmante para dormir. Chorei demais!?, disse ela.

Quarto do líder para Eliéser

A enfermeira lembra que quis dar a Eli um quarto igual ao do líder do reality show. A família apoiou a compra. ?Quando a gente gosta de uma pessoa, dá o presente de coração, não importa qual seja ele", disse emocionada. Seu sonho agora é conhecer o ex-BBB pessoalmente, já que nunca o viu nem falou com ele. ?Acho que vou desmaiar quando isso acontecer. Só de pensar, já choro!?.

Heloísa não é um caso à parte. No aniversário de Eliéser, as comunidades de fãs do ex-BBB espalhadas pela internet se cotizaram e cada uma reuniu dinheiro para dar a ele um book de fotos, um ar condicionado, um Play Station 3, uma máquina fotográfica digital, um notebook com internet 3 GB, um home theater com DVD, cinco caixas de vinho, além de roupas, calçados, porta-retratos, caixas de bombons, uma pulseira de prata etc.

Uma fã carioca, mulher de um empresário que pediu para não ser identificada, disse que nunca na vida tinha se interessado por ídolos. Eliéser foi seu primeiro. Segundo ela, ao ver a participação do paranaense no "BBB", teria sido "cativada por seu carisma". A carioca foi ao hotel onde o ex-BBB se hospedou ao deixar a casa para dar um notebook de presente a ele. "Cada fã dá o que quer e pode. Tem gente que dá R$ 400 e tem os que dão R$ 10. Tem gente que gosta muito dele e acha que o Eli foi injustiçado no programa", disse ela ao EGO.

Essa mesma fã citou o caso de um admirador que teria sido "salvo" por Eliéser. O homem de 43 anos era diabético e sofria de depressão profunda após perder as pernas por causa da doença. Ele acompanhou o desempenho do paranaense no "BBB" e entrou no blog em homenagem ao namorado de Cacau. "Esse rapaz saiu da depressão ao ver Eli no BBB", disse a fã carioca.



Psicanalista dá sua opinião

O comportamento dos fãs chama a atenção do psicanalista Luiz Alberto Py, da Sociedade Brasileira de Psicanálise. ?Na minha opinião, pessoas que agem dessa maneira com um ídolo não têm personalidade. Elas se projetam no outro. Também falta a elas estrutura familiar. Ficam se envolvendo com os outros sem ter tempo de cuidar dos filhos. Essas pessoas deviam gastar seu dinheiro com os filhos. Acho isso uma idiotice?, disse Py.

Eliéser não se assusta com o carinho dos fãs. Pelo contrário, se sente recompensado. ?É gratificante. Saí da casa com fama de agressivo. Aqui fora tudo ficou diferente. Mostrei quem eu sou, um cara que não finge e é o que é. Acho que atraio tantos fãs porque sou humilde e muito religioso. Tenho um fã-clube maduro. Não esperava receber tanto deles que já quiseram me dar R$ 50 mil, o prêmio do terceiro colocado do "BBB". Eu que não deixei?, disse ele.

Fonte: Ego, www.ego.com.br