Felipe Dylon volta de clínica de reabilitação

Longe do grande público por quase três anos, Felipe passou, há dois meses, uma semana no NIP

Se você cruzasse com esse rastafári das fotos acima o reconheceria como um cantor que já fez muito sucesso? É com esse visual que Felipe Dylon, hoje com 22 anos, pretende lançar o quarto álbum (ainda sem título) de sua carreira. Bem diferente do garotão de 15 anos com pinta de surfista que estourou em 2003 com o hit ?Deixa disso?. ?Ô menina deixa disso, quero te conhecer, vê se me dá uma chance, tô a fim de você?, lembra?

Longe do grande público por quase três anos, Felipe passou, há dois meses, uma semana no NIP, clínica

especializada em tratamentos psiquiátricos e de dependência química, na Barra. Mas ele nega que tenha a ver com drogas. "Fui a uma festinha e no dia seguinte acordei indisposto. Aí a minha mãe me levou para essa clínica de reabilitação para cuidar da saúde", diz o cantor, que está ansioso para voltar a fazer grandes shows, já que sua última apresentação ocorreu no fim de 2006.

De lá para cá, Felipe prestigia eventos que envolvem música, como o campeonato brasileiro de surfe na Pororoca, em Arari, no Maranhão, e é contratado para marcar presença em festas particulares, como o aniversário de uma menina de 15 anos em Manaus. Sem gravadora desde que se desligou da EMI em 2006, Felipe decidiu lançar o novo trabalho, que terminou de gravar em setembro de 2008, de uma forma diferente: dentro de duas semanas, vai relançar seu site (www.felipedylon.com.br) em que os fãs cadastrados poderão baixar a música de trabalho, ?Assim começa o amor?. "É um recomeço. As fãs podem esperar um novo Felipe. Estou mais maduro e romântico", resume o cantor.

Por que procurou a clínica?

Passei mal um dia e fui para uma clínica de reabilitação onde cuidei de mim, da minha vida, tá ligado?

Passou mal como?

Fiquei enjoado. Fui a uma festinha e no dia seguinte acordei indisposto. Aí a minha mãe me levou para essa clínica de reabilitação para cuidar da saúde.

Você não estava se cuidando?

Não é que eu não me cuidasse....

Se sentia fraco?

Estava me sentindo indisposto.

Foi por causa de drogas?

Não, não tem nada a ver com drogas

Então, o que você teve exatamente? Foi uma crise de depressão?

Não, não foi não. Foi uma indisposição, enjôo, dor de barriga...

Essa foi a primeira vez que sentiu isso?

Foi sim, mas já estou bem. Fiquei uma semana lá e passou.

Como era o tratamento na clínica?

Eu tomava 3 remédios de manhã, à tarde e à noite. Também tinha uma boa alimentação.

Foi boa a estadia?

É uma clínica maneira, de bom nível, o maior astral. Podia descer, dar uns rolés, tinha uma ótima cafeteria... Na real? Acho que foi bom para mim. Me cuidei durante uma semana em um spa irado, num lugar bonito, com um baita visual da Pedra da Gávea. Tinham pessoas da minha idade que eu podia conversar.

Por que essas pessoas estavam internadas?

Cada um tinha um motivo. Um tinha problema com drogas, outro tinha problemas psiquiátricos...

E qual era o seu problema?

Precisava me desligar um pouco da realidade. Parar para pensar e refletir a vida. Foi um autoconhecimento.

No que essa semana vai influir no seu futuro?

Ah, vou ficar mais regrado, mais preocupado com a alimentação. Também não posso mais dormir tarde e acordar cedo.

Fonte: Extra, extra.globo.com