Filhas de Marcos Paulo bloqueiam bens do diretor para que Fontenelle não tenha acesso

Filhas de Marcos Paulo bloqueiam bens do diretor para que Fontenelle não tenha acesso

Justiça determinou que fique proibida a entrada de qualquer pessoa no apartamento.

Mariana, filha de Marcos Paulo, e Flávia Alessandra, representando a menor Giulia (sua herdeira com o diretor) entraram com uma ação de arrolamento de bens na 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, pedindo para que todas as contas de Marcos Paulo, bem como seu imóvel no condomínio Golden Green, sejam bloqueados para que terceiros (leia-se Antônia Fontenelle) não tenham acesso. Detalhe: o pedido aconteceu três dias após a morte do diretor.

Ontem, a Justiça determinou que fique proibida a entrada de qualquer pessoa no apartamento, com exceção das herdeiras para sua manutenção. Elas poderão mudar as chaves das portas. As contas de Marcos Paulo também foram bloqueadas.

As chaves já tinham sido trocadas por Flávia Alessandra. Outra coisa: Mariana e Giulia pediram à Justiça uma cópia do testamento contendo o que cada pessoa da família vai ter direito no patrimônio deixado pelo diretor. Até a tarde de ontem, o documento ainda não tinha sido entregue às herdeiras.

De um lado, Flávia Alessandra, que foi casada com Marcos Paulo, disse aos amigos que Antônia - que se relacionou com Marcos Paulo nos últimos seis anos e era tratada como sua esposa - não tem direito a nada porque não viveu na mesma casa, nem dependia dele financeiramente. Ontem à tarde, Antônia enviou uma nota à imprensa através da assessoria da Record, empresa em que ela trabalha.

Nota

"Boa a tarde a todos,muita atenção e por favor não distorçam as minhas palavras. O que eu tenho pra dizer é simples e de fácil compreensão. Meu marido, antes de partir, manifestou expressamente sua última vontade. Caso as coisas não se ajeitem amigavelmente, judicialmente essa verdade será mostrada. É preciso que seja respeitada sua memória bem como as pessoas que lhe eram queridas, que estavam ao seu lado até o último instante. Se o Marcos Paulo era quem era e tinha o que tinha é porque o público o acolheu, o aceitou e é esse público que merece tomar conhecimento da verdade. Eu entendo que o silêncio é fascinante e prudente, mas também aprendi que respeito é fundamental e eu exijo. Vamos dar a César o que é de César, Antônia Fontenelle".

Fonte: O Dia Online