Filho diz que ex-modelo presa não trabalha e vive às custas dele

Filho diz que ex-modelo presa não trabalha e vive às custas dele

Cristina não conseguiu os R$ 6 mil estipulados como fiança e foi transferida para Polinter

?Minha mãe tem um sério problema de bipolaridade. Ela teria que se tratar, mas não se trata?. O desabafo foi feito ontem, a O DIA, pelo adolescente de 16 anos, filho da ex-modelo Cristina Mortágua com o ex-jogador Edmundo. Na véspera, o jovem fora agredido pela mãe, que acabou presa ao também bater numa delegada da 16ª DP (Barra da Tijuca).

Autuada por desacato, injúria, resistência e agressão, Cristina não conseguiu, até o fim da noite de ontem, os R$ 6 mil estipulados como fiança e foi transferida para a carceragem da Polinter de Magé. Até as 21h, a ex-modelo chegou a ficar numa sala isolada da Polinter do Grajaú, a pedido de seu advogado, que afirmou que obteria a quantia.

A confusão envolvendo Cristina começou na segunda-feira. ?Ela é carente demais e queria que eu assistisse TV com ela. Mas eu estava muito cansado, queria dormir. Então, ela se sentiu sozinha, ficou estressadinha e começou a quebrar todos os vidros da casa, tacou um vidro em mim e bateu na empregada. Quebrou meu quarto inteiro, jogou minha televisão no chão, jogou meu laptop pela janela?, contou o filho.

O rapaz admitiu ter reagido. ?Também não fiquei quieto e quebrei o laptop dela, quebrei tudo que ela comprou com o meu dinheiro, já que ela não trabalha?, disse, ressaltando: ?Há quatro anos ela não trabalha e vive do sustento da pensão que meu pai me dá?.

Segundo ele, a vida da mãe ?se resume a ficar vendo TV, comer o dia inteiro, ficar no Facebook ? e esperar o dia 10 para receber a pensão?. ?Ela joga na minha cara que eu tenho tudo de mão beijada, mas que ela batalhou muito, teve que posar muito nua para conseguir o que conseguiu?.

O adolescente passou ontem por exame de corpo de delito no Instituto Médico-Legal. Após negar que seja usuário de drogas, como a ex-modelo dissera à polícia, ele afirmou que não quer mais morar com Cristina. ?Não quero viver mais com minha mãe, mesmo que tenha que ir para um abrigo do Conselho Tutelar?. De acordo com ele, a mãe faz uso indiscriminado de calmantes. Diversas caixas foram apreendidas pela polícia. O rapaz contou ainda ter falado pelo telefone, ontem, com o pai, com quem não se relaciona.



Fonte: O Dia Online-RJ