Filme polêmico trata da vida de Nelson Mandela

Filme polêmico trata da vida de Nelson Mandela

Filme polêmico trata da vida de Nelson Mandela

A atriz Jennifer Hudson, ganhadora de um Oscar, vai atuar em uma cinebiografia do ex-presidente sul-africano Nelson Mandela, no papel da ex-mulher dele, Winnie. Os advogados de Winnie Madikizela-Mandela já entraram em contato com os produtores do filme, ameaçando bloqueá-lo.

O filme Winnie, que terá Terrence Howard como Nelson Mandela e é baseado num livro de Anne Marie du Preez Bezdrob, começará a ser rodado na África do Sul em 31 de maio e poderá estrear no primeiro semestre do ano que vem.

O produtor Andre Pieterse disse que Winnie havia pedido para ver e aprovar o roteiro antes de o filme começar a ser feito, mas que os financiadores recusaram.

"Uma carta de um advogado chegou semanas atrás," disse Pieterse a repórteres no Festival de Cinema de Cannes, onde Hudson e Howard estavam promovendo a produção.

"Foi uma carta em tom cordial, mas ainda assim continha a ameaça de processo, uma interdição que poderia paralisar o filme.

"Ela (Winnie) ... gostaria de ver o roteiro e aprová-lo. Mas o filme será feito com base em um texto que já foi bastante ensaiado, e sem nenhuma interferência."

"Se o filme for maledicente com ela em qualquer aspecto então haverá base legal para que ela tome medidas."

O diretor Darrell Roodt está confiante, contudo, em que ela vá apoiar o que ele descreve como "em primeiro lugar e acima de tudo, uma impressionante história de amor".

"Nós temos uma certa percepção dela, mas é inteiramente incorreta porque ela foi uma das poucas salvadoras da África do Sul," disse Roodt, falando de Winnie, uma mulher que apoiou seu marido Nelson ao longo dos 27 anos que ele passou nas prisões do regime do apartheid.

Winnie é uma das figuras mais polêmicas na política sul-africana. Já foi chamada de "mãe da nação," mas em 1992 foi condenada por sequestro de um adolescente, ativista contra o apartheid, que depois foi assassinado.

Winnie se casou com Mandela em 1958 e se separou dele em 1992, cerca de dois anos depois de ele ter sido libertado da prisão.

Fonte: Terra