Giane sobre campanha no PI:"Não vejo duplo sentido"

Giane sobre campanha no PI:"Não vejo duplo sentido"

Ator fala sobre a campanha que fez para o Pintos Shopping e diz que tem dias que se sente feio

Reynaldo Gianecchini afirma que tem dias que se sente feio, comenta sobre as especulações de sua sexualidade e jura que deu gargalhadas quando percebeu o duplo sentido de uma campanha publicitária que fez para o Pintos Shopping, em Teresina (PI), cujo texto é: ?Pintos Shopping, tudo o que você mais gosta no lugar que você sempre quis?.

O ator, de 38 anos, respondeu às perguntas dos leitores de QUEM, que chega às bancas nesta quarta-feira (15). Ele conta ainda que tem vontade de ser pai. Veja algumas das questões que ele esclareceu:

Como é ser bonito 24 horas por dia?

Camila Rosa, Brasília (DF)

Reynaldo Gianecchini: Engraçado é que as pessoas falam isso, mas eu não me olho no espelho todo dia e digo: ?Legal, hein, está bem pra caramba!? (risos). Não existe isso. Tem dias que a gente se sente feio, cansa da cara. Nunca me achei um exemplo de beleza. Nunca achei que fosse sair na rua e iriam dizer: ?Nossa, esse cara é bonito, hein!?. Essa história da beleza tem a ver com a fantasia da TV. Gosto de sentir que estou me cuidando, que estou com uma alimentação saudável, praticando esportes, isso me dá um bem-estar até de me sentir bonito.

Vai mudar o visual depois da novela?

Paula Rocha, Rio de Janeiro (RJ)

RG: Provavelmente. A gente cansa, né? Tenho muita vontade de terminar a novela e raspar a cabeça. Adoro. Já fiz isso algumas vezes. Passar máquina zero. Vai depender se vou poder (por causa de futuros trabalhos). Acho maneiro.

Como você reage ou lida com os comentários de que é gay?

Elaine Lima, Camaçari (BA)

RG: Honestamente, há certas coisas que procuro nem ler. Se você for ler tudo o que falam de porcaria a seu respeito, realmente é deprimente. Primeiro, procuro não ler. Quando chegam a mim essas informações, eu desenvolvi um mecanismo de não me estressar. Outra coisa que não faço é toda hora ir ao veículo (órgão de imprensa que divulgou) tentando desmentir a coisa, porque senão, sinceramente, a gente não vive mais. Hoje em dia, tem uma parada que é sinistra: qualquer pessoa escreve uma barbaridade, todo mundo copia e dão como certa aquela informação. Então, criar um boato é muito fácil. Destruir a imagem das pessoas é muito fácil. É uma irresponsabilidade danada e eu me recuso a compactuar com isso. Acho meio degradante dizer: ?Eu não fiz isso, eu não sou assim?. Então, meu lema é esse: não deixar que isso interfira na minha vida, não me estressar com isso.

Você ficou impressionado com a repercussão que teve a campanha que fez para o Pintos Shopping?

Marco Antônio Bastos, Niterói (RJ)

RG: Fiquei impressionado como, hoje em dia, com o Twitter, qualquer coisa toma uma proporção gigante. Mas fui o primeiro a rir com isso. Quando fiz essa campanha, nunca tinha visto a possibilidade de duplo sentido da piada. O slogan: ?Tudo o que você mais gosta, no lugar que você sempre quis?, para mim, não tinha nada de errado. Quando me dei conta, comecei a rir muito. Quando me chamaram, fiz uma pesquisa. Era para um shopping no Nordeste, não tinha nada de errado. Não tenho nada para me envergonhar. É uma família que respeito muito, que tem o sobrenome Pintos e é absolutamente idônea.

Estar solteiro é uma opção ou uma convicção?

Rafaela Alves, Barreirinha (AM)

RG: É uma opção. Estive sempre namorando ou casado. É a primeira vez que estou solteiro. Estou querendo realmente curtir o que está rolando. Não adianta ser casado querendo estar solteiro e estar solteiro querendo estar casado. Estou solteiro feliz. Quero poder curtir sem negociar nada, quero esse tempo todo para mim. Mas também porque não pintou outra pessoa na minha vida. Então, vou vivendo de acordo com o que vai aparecendo. Não tenho nenhum compromisso. No dia em que aparecer uma pessoa incrível e eu achar que quero ter um relacionamento, vou ter.

Você já pensou em ser pai?

Ana Lúcia Santos, Rio de Janeiro (RJ)

RG: Tem certas coisas que são inerentes ao ser humano e uma delas é ser pai. Estou numa fase de curtir os filhos dos meus amigos. Todos estão tendo filhos e eu sou um ótimo tio (risos). Tenho vontade de ficar com a molecada, de brincar. Mas essa questão tem a ver com o momento certo, de estar com a pessoa certa para ter esse filho. Acho que tudo acontece quando tem que acontecer. Depende da parceira, não é uma decisão que se pode tomar egoisticamente. Acho que vai ter uma hora na vida em que vou querer desacelerar tudo e curtir uma outra coisa, que é me dedicar a um serzinho.

Fonte: Quem, revistaquem.globo.com