Giovanna Antonelli diz que procura harmonia com Murilo Benício

Ela afirma não saber muito sobre os caminhos da vilã Dora na trama de Manoel Carlos

Quando questionada sobre sua personagem em Viver a Vida (Globo), Giovanna Antonelli afirma não saber muito sobre os caminhos da vilã Dora na trama de Manoel Carlos. Já quando o assunto é a vida da própria Giovanna, ela discorre melhor e diz ser uma ?mulher madura? e que tem ?consciência da alegria de viver?.

Giovanna conversou com o R7, na noite desta terça-feira (6), na festa de aniversário de 9 anos da revista Quem, em São Paulo. Entre outras coisas, contou que procura viver em harmonia com o ex-marido, Murilo Benício, pai de seu filho Pietro, de quatro anos.

- Acho que o mínimo que a gente pode tentar é viver bem com todas as pessoas que nos cercam. Principalmente com o pai do meu filho. Hoje é uma situação muito normal ter pais separados. Procuro viver em harmonia sempre.

O R7 perguntou a ela como será a polêmica de sua personagem ser mãe de uma menina malvada, Rafaela, interpretada pela atriz Klara Castanho.

- Isso eu desconheço, porque até agora não existe nem a minha vilã, muito menos a menina malvada. Eu não tive sinopse. Leio a cada capítulo que recebo. Sei que vai ter a história do triângulo amoroso entre o personagem do José Mayer , a da Taís [Araújo] e do meu. Tem a relação dela com a filha, porque ela é uma mãe solteira. Tem a relação com um ex-marido que largou a Dora quando ela estava grávida, mas, enfim, são histórias que ainda não se juntaram.

A atriz afirmou que está feliz em voltar a trabalhar com Manoel Carlos, que a lançou ao estrelato em Laços de Família, em 2000, com a personagem Capitu.

- Eu estou amando gravar. Estou amando esse reencontro com o Manoel Carlos depois de dez anos que eu fiz a Capitu. Estou curtindo muito.

Questionada em que mudou de Capitu até Dora, respondeu, resoluta.

- Amadureci bastante, sou mãe hoje. Eu me lembro exatamente daqueles momentos de Laços de Família, mas hoje eu me gosto muito mais, sou muito bem resolvida comigo mesma. A maternidade é o amor intenso, eterno e incondicional. Sempre tive uma alegria de viver muito grande, mas, com a maternidade, ela dobrou. Nem lembro como era a minha vida antes do Pietro. Adoraria, um dia, ter mais um filho.

Fonte: R7, www.r7.com