Lá vem polêmica: "Eu não sou gay, às vezes bissexual", revela Antônia Fontenelle no Twitter

Lá vem polêmica: "Eu não sou gay, às vezes bissexual", revela Antônia Fontenelle no Twitter

A loira fez um protesto contra a lei que propõe tratamento para a homossexualidade

Antônia Fontenelle não cansa de ser assunto. Depois declarar que vai ser capa da revista ""Playboy"" sem permitir o uso de Photoshop nas fotos, a atriz usou sua conta no Twitter para se posicionar contra a aprovação do projeto de lei que determina o fim da proibição de tratamentos para reversão da homossexualidade. A proposta foi autenticada pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara em uma sessão presidida pelo deputado Marco Feliciano (PSC-SP) na noite desta terça-feira, 18.

No meio da declaração, a loira, que foi casada com o diretor Marcos Paulo - morto em novembro de 2012 - falou, pela primeira vez, sobre sua bissexualidade.

""Agora vamos lá gente: quem criou essa lei absurda da cura gay e quem aprovou? Eu sei quem, mas quero ouvir de vocês. Eu não sou gay, às vezes bi, mas uma coisa eu prometo se essa lei criada por esse doente do Feliciano for adiante. Vou convocar pessoalmente meus amigos gays e poderosos e todos os gays desse país para invadir o Congresso, aí sim, vocês verão quem vai precisar de cura. Isso É o cúmulo do absurdo, com tanta coisa importante acontecendo nesse momento, um bando de intolerantes, fichas podres, reunidos criando leis absurdas, incoerentes, arbitrárias... Cadê você, Dilma? Se manifesta, bota ordem na casa, foi pra isso que saí da minha casa pra te dar meu voto"".

Mais manifestações sobre a aprovação do projeto

A atriz Thammy Miranda também se manifestou sobre a aprovação da proposta: ""Venho por meio desta comunicar que estou impossibilitada de trabalhar. Tô doente desde que nasci e aos 30 anos ainda não consegui minha cura! Preciso da ajuda do governo para pagar minhas contas e sustentar os meus luxos. Me coloco também à disposição do deputado em questão a me curar, pois não sei mais o que vou fazer da vida com essa minha doença que já dura 30 anos! Peço a ele também bolsa desemprego, bolsa alimento, bolsa gasolina, bolsa balada, bolsa cabeleireiro, bolsa imposto. Porque tô muito doente e não posso nem sair na rua, vai que eu passo isso pra alguém? Vai que é contagioso e todo mundo "fica" gay por minha culpa? "FICA", né? Porque se é doença, eu não sou gay e sim "ESTOU" gay... Enfim, deputado, estou ansiosamente no aguardo do seu contato, pois quero muito me curar! Não sei se consigo viver mais 30 anos com essa doença! #vapaputaqopariu #semnoção #homofobicodocaralho #issoévandalismotambem #animalirracional"", disse ela em seu perfil do Instagram.

Fonte: EGO