Loiraça Sheila Mello reina como rainha de bateria no desfile da Acadêmicos do Tucuruvi

A Acadêmicos do Tucuruvi aposta na mineirice para colocar pela primeira vez a mão no título

A religiosidade, a arquitetura e o acolhimento típicos de Minas Gerais são retratados pela quarta escola a entrar no Sambódromo do Anhembi, na Zona Norte de São Paulo, na madrugada deste domingo (22).

A madrinha de bateria é Sheila Mello. Ela afirma que não fez nenhuma preparação especial para o desfile. "É algo que já faz parte da minha profissão, do meu dia-a-dia. Não tenho essa coisa de ficar malhando para o Carnaval", disse na concentração.

A Acadêmicos do Tucuruvi aposta na mineirice para colocar pela primeira vez a mão no título de campeã do carnaval paulistano. Sem patrocínio e em meio à crise financeira mundial, o carnavalesco Fábio Borges conta a história da cidade de Ouro Preto com criatividade e dispondo inclusive de retalhos de fantasias. A escola exalta a cultura e o Barroco de Ouro Preto, além de explorar o aspecto da religiosidade local.

O Tucuruvi entra na avenida com cerca de 3 mil componentes, que desfilam em cinco carros alegóricos e 22 alas. Depois do enredo definido (sugerido pelo próprio carnavalesco) e da pesquisa preparatória pronta, Borges visitou Ouro Preto para captar aspectos da cidade que pretende retratar em suas criações.

A bateria da Acadêmicos é composta por 250 ritmistas, comandados pelo Mestre André. À frente da bateria, representando a comunidade da escola, vem a rainha de bateria Valéria de Paula, que tem 30 anos e é administradora de empresas.





Fonte: g1, www.g1.com.br