Mãe de meninas mortas  está "deprimida e chorosa", diz hospital

Mãe de meninas mortas está "deprimida e chorosa", diz hospital

Cláudia Repetto está na unidade semi-intensiva do Copa D"Or, no Rio.



Foto: Reprodução/TV Globo Gabriela e Geovana Repetto morreram no deslizamento (Foto: Reprodução/TV Globo) Mãe das meninas Gabriela, de 9 anos, e Geovana Repetto, de 12, que morreram com os tios no deslizamento de terra na Praia do Bananal, na Ilha Grande, em Angra dos Reis, Cláudia Cristine Ribaski Brazil Repetto, que sobreviveu à tragédia, está "deprimida e chorosa". As informações foram divulgadas neste domingo (3) pela assessoria do Hospital Copa D"Or, na Zona Sul do Rio.

Cláudia, de 42 anos, permanece internada na Unidade de Terapia Semi-intensiva e seu estado de saúde é estável, de acordo com o hospital. Ela teve esmagamento em ambas as pernas, mas sem fraturas. Exames confirmaram também fraturas em três vértebras. Ela não tem previsão de alta.

O marido de Cláudia e pai das meninas, Marcelo de Assis Repetto, de 45 anos, deu entrada às 18h30 de sexta-feira (1º) na Clínica São Vicente, na Gávea, na Zona Sul do Rio. Segundo a assessoria da clínica, ele segue no CTI e está sendo atendido pelo neurocirurgião Paulo Niemeyer.

Sepultamento

O enterro das meninas ainda não foi marcado porque os pais querem participar da cerimônia.

A família Repetto havia alugado uma casa na Ilha Grande para a passagem do réveillon. No momento do acidente, seis pessoas estavam no local e apenas o casal Cláudia e Marcelo Repetto sobreviveu. Suas filhas, o irmão de Marcelo, Renato Repetto, de 50 anos, e a esposa dele, Ilza Maria Roland, de 50, morreram.

Renato Repetto será enterrado neste domingo (3) em um cemitério da Zona Sul do Rio. Já sua esposa será cremada na próxima segunda-feira (4).

Fonte: AE/G1