Musa do Paparazzo: "Falta de sexo não me deixa subindo pelas paredes", revela Mari Alexandre

Musa do Paparazzo: "Falta de sexo não me deixa subindo pelas paredes", revela Mari Alexandre

Amo o pai do meu filho, amo mesmo. Ele fez com que eu realizasse meu sonho de ter um filho.

Há um ano e meio separada de Fábio Jr., Mari Alexandre está sozinha desde então - "sem nem beijo na boca", garante -, e fala com carinho dos três anos que ficou com o cantor, com quem teve um filho, Zaion, 4. "Não nos separamos por falta de amor. A gente está superbem, a gente se gosta, temos um filho lindo juntos. Somos adultos e nos respeitamos. Amo o pai do meu filho, amo mesmo. Ele fez com que eu realizasse meu sonho de ter um filho. Como ele tinha feito vasectomia, foi ele que me escolheu para ser mãe do filho dele. Posso falar de boca cheia que ele é uma pessoa importantíssima na minha vida", diz Mari.

"Ele foi um bom namorado, um bom amante. A voz dele já é sedutora, parece que está cantando", elogia. "Eu era fã desde pequena do Fábio. Desde pequenininha, com sete anos, falava que ia casar com ele. Beijava foto, pôster do meu quarto. E tinha desencanado quando o conheci. Gostava das músicas dele, mas estava desencanada total", lembra. "Ele é uma pessoa normal, é um homem bacana. Como é mais velho (Fábio está com 59 anos), tem mais experiência para tratar uma mulher".

Ainda que rasgue elogios ao ex, Mari titubeia quando perguntada se Fábio foi sua única grande paixão. "Não sei se ele é o homem da minha vida. Enquanto estava com ele, tinha certeza absoluta disso. Foi o homem com quem casei, com quem tive uma história linda. Ele é e vai ser sempre importante para mim. Quer ou não, meu próximo namorado ou marido vai ter que aceitar porque eu tenho um filho, e esse filho tem um pai".

Esse alguém ainda não pintou, mas Mari torce para que seu "príncipe encantando", como ela mesma define, chegue logo. "Gostaria de encontrar uma pessoa. Acho que uma hora isso vai acontecer. De vez em quando sinto falta de sexo, mas não é uma coisa que me deixe doida, subindo pelas paredes, que vai me fazer pegar o primeiro que aparecer. Tenho um lado romântico. Preciso gostar da pessoa, ter uma atração legal. Não vou tirar minha roupa para uma pessoa que nem sei se estou afim. Tem que bater".

"Não tenho mais neura se estou maravilhosa"

Os 40 anos, diz ela, trouxeram essa calma e maturidade. Com o tempo, Mari também deixou de se cobrar tanto em relação à beleza. "Não tenho mais neura se estou maravilhosa. Não me cobro tanto mais. Nunca tive crise de idade, nem com 30, nem 40. Comemorei meus 40 anos nos Estados Unidos com uma galera, em março. Meu amigos se espantaram dizendo que nunca viram uma pessoa tão feliz completando essa idade. Acho que é meu estado de espírito mesmo, jovial, até esqueço que tenho 40 anos".

Os efeitos no corpo, porém, ela sentiu. "A gente muda por causa da lei da gravidade. Mas me sinto melhor hoje do que 20 anos atrás. Me sinto mais segura. É lógico que ter 20 anos é muito mais bacana, sua pele é outra. Hoje tenho que me cuidar mais. Mas não ligo nem fico me comparando com as pessoas", comenta. "Gosto de comer muito, tenho esse problema sério desde que me conheço por gente. Tento compensar ficando algumas noites sem comer muito porque é complicado. Não consigo ser regradinha, comer frutinha... Tento, mas é difícil", entrega.

Considerada símbolo sexual, Mari conta que deu um tempo nos trabalhos sensuais quando se casou com Fábio Jr., mas agora está voltando, aos pouquinhos. "Minha vida mudou muito depois que casei. Na época, o Fábio pediu para que me dedicasse a família. Aceitei tranquilamente, porque era o que queria. Não sentia falta do meio artístico. Me separei e ainda fiquei um tempão sem trabalhar, demorei a voltar e foi de forma natural. Pensei muito antes, porque meu filho agora está em primeiro lugar. O Zaion hoje ainda é pequeno, posso fazer essas fotos. Mas quando ele tiver os amiguinhos na aula...", diz.





Fonte: EGO