Mitos e verdades: entenda o que é mentira, e o que vale a pena saber quando falamos sobre sexo

Mitos e verdades: entenda o que é mentira, e o que vale a pena saber quando falamos sobre sexo

O assunto já deixou de ser tabu há algumas décadas, mesmo assim as lendas sexuais não deixam de circular por aí.

O assunto já deixou de ser tabu há algumas décadas, mesmo assim as lendas sexuais não deixam de circular por aí. Os descendentes de negros têm pênis maiores ou os orientais menores, sexo anal causa hemorroida e a masturbação deixa a mão peluda são só alguns dos exemplos de mitos, considerados verdade por muita gente.

Quem fazia piadas de estímulos sexuais com amendoim, ostra ou ovos de codorna, terá que enriquecer o repertório, pois relacionar os alimentos com o apetite na cama não passa de um mito. A reportagem entrevistou especialistas no assunto para esclarecer o que é boato e o que vale a pena saber quando o assunto é sexo.

- Tamanho é documento:

Depende: De acordo com os especialistas, se o órgão sexual é muito pequeno ou muito grande, faz diferença. Segundo o diretor do Hospital CECMI, o urologista Arnaldo Cividanes, o tamanho médio do pênis do brasileiro é de 12 cm em estado flácido e de 15 cm a 20 cm ereto. ?Muito abaixo de 15 cm pode gerar menos satisfação e muito acima dos 20 cm pode gerar desconforto?, comparou.

O ginecologista e sexólogo, chefe do setor de medicina sexual do hospital Mater Dei, Gerson Lopes, ressaltou que a relação sexual não se limita apenas ao encontro dos genitais e que a vagina tem capacidade de se adaptar ao tamanho do pênis.

- Dá para se chegar ao orgasmo com sexo anal:

Verdade: ?Em geral é difícil, porém em 30 anos de atendimento em sexologia, já ouvi relato de três mulheres que conseguiam orgasmo apenas pelo sexo anal e não pelo vaginal?, contou Lopes. De acordo com a coordenadora do programa de sexualidade na USP, Carmita Abdo, ?algumas mulheres conseguem ter prazer orgástico com sexo anal, mas é mais comum com estimulação do clitóris?. ?A maioria das mulheres que tem satisfação anal estão se masturbando também, estimulando o clitóris, ela ou o parceiro. Algumas podem ter orgasmo com o sexo anal apenas pelo movimento gerado na hora do ato?, complementou o ginecologista Eliano Pellini.

- Engolir esperma faz mal:

Mito: O esperma é um conteúdo alcalino (não ácido) e não tem perigo em ser engolido, determinou Pellini. Assim como a mucosa da vagina, o estômago contém substâncias ácidas que balanceiam o líquido alcalino, explicou. ?O esperma é formado de células, frutose e outras substâncias, portanto não haveria mal em ingeri-lo?, acrescentou Lopes. O urologista Cividanes lembrou, porém, que a ingestão pode fazer mal caso o parceiro esteja com alguma infecção genital.

- Sexo na água diminui a chance de engravidar:

Mito: ?Se o homem ejacular dentro da vagina, estar na água não evita gravidez?, disse Cividanes. ?A água não vai entrar na vagina e matar os espermatozoides?, acrescentou. No entanto, caso o pênis saia da vagina no momento da ejaculação, o esperma pode ficar diluído com a água.

- Se masturbar demais pode deixar a mão peluda:

Mito: ?Coincidem na puberdade o aparecimento de pelos com a prática maior da masturbação?, disse o ginecologista e sexólogo Gerson Lopes, mas os dois acontecimentos não estão relacionados. ?É um mito muito antigo que não procede?, completou Carmita.

-Tomar anticoncepcional diminui o desejo sexual:

Verdade: Não é usual, mas ?em alguns casos, sim. Fica na dependência do tipo de anticoncepcional e da individualidade?, disse Lopes. ?Depende da composição da pílula, algumas podem conter doses hormonais que inibem o desejo sexual?, afirmou Carmita. Os medicamentos mais modernos, no entanto, têm doses muito pequenas de hormônio e interferem pouco na libido, de acordo com Cividanes. Apesar disso, a presidente da Comissão Nacional Especializada em Sexologia da Febrasgo, Sylvia Maria da Cunha Cavalcanti, disse que: ?existem estudos que apontam evidências que em algumas usuárias de anticoncepcional oral de baixa dosagem este efeito pode ser observado?.

- Sexo na gravidez machuca o bebê:

Mito: ?O bebê fica dentro de uma bolsa amniótica que o protege além do colo do útero?, disse Lopes. Segundo Cividanes, não há como machucar a criança durante o sexo a não ser com um trauma abdominal. ?O homem não vai ficar com o peso sobre a mulher, é ideal tentar posições que não tenha muito contato com o abdômen dela?, alertou. Porém, após o oitavo mês de gravidez, o desconforto da mulher é muito grande e é preciso tomar cuidado com movimentos muito bruscos e tombos para não precipitar o trabalho de parto, segundo Carmita. ?Em gravidez de risco, é preciso consultar o médico?, lembrou.

- É possível quebrar o pênis durante a relação:

Verdade: O caso mais recente é o do lutador de MMA, Ray Elbe, que fraturou o pênis durante relação sexual com a parceira. ?Existe uma posição particular responsável por 90% dos casos: o homem deitado e a mulher por cima dele virada na direção dos pés do homem?, disse o urologista membro da Sociedade Brasileira de Urologia, Adalberto Andriolo Jr. O pênis é formado por duas estruturas cavernosas, envolvidas por uma membrana elástica chamada albugínea, que se dilata de sangue durante a ereção. ?Quando ocorre o rompimento dessas paredes, o sangue vaza para dentro do pênis, que fica com um tom arroxeado?, afirmou Cividanes.

- Sexo oral causa câncer bucal:

Verdade: Apesar de muito raro, pode acontecer, de acordo com especialistas. Uma das possibilidades é a contaminação por HPV e o posterior desenvolvimento de câncer, disse Lopes. ?O que ocorre é a transmissão via oral de vírus e alguns são cancerígenos. Precisa haver uma ferida, nem que seja microscópica na boca. No caso do sexo oral do homem na mulher, é muito mais língua e precisa ter alguma fissura também para a contaminação?, explicou Cividanes. ?É mais rara a transmissão pela mucosa da bochecha, por exemplo?, concluiu Carmita.

Fonte: Terra