Britânica é esquecida e morre em alto mar

Ela fazia parte de um grupo de 16 pessoas que viajava de barco pelas águas do arquipélago e fazia mergulhos constantes.

Uma britânica que mergulhava com um grupo nas ilhas de Galápagos, no Equador, morreu após supostamente ter sido esquecida embaixo da água por seus companheiros, segundo depoimentos colhidos em um inquérito britânico.

Segundo informações de jornais do condado de Somerset, no sudoeste da Inglaterra, Donna Maria Newton, 40 anos, foi encontrada morta boiando no mar, após uma sessão de mergulho liderada por um experiente instrutor.

Ela fazia parte de um grupo de 16 pessoas que viajava de barco pelas águas do arquipélago e fazia mergulhos constantes.

Na ocasião que resultou na morte de Dona, ela mergulhava acompanhada de um "parceiro de mergulho", uma pessoa indicada justamente por razões de segurança.

Sua parceira era uma mergulhadora americana, que disse, no tribunal, que tinha sido instruída a voltar à superfície antes de seu oxigênio acabar. Ela não avisou Newton, que estava cerca de 4,5 metros abaixo dela, nadando com tartarugas.

A ausência de Donna só foi notada mais tarde, quando o grupo estava reunido no barco. Após uma busca, seu corpo foi encontrado, boiando, com marcas de vômito ao redor de sua boca.

Acredita-se que ela possa ter passado mal em algum momento do mergulho ou em uma tentativa de subir à superfície às pressas.

Experiente

O instrutor de mergulho do grupo, Fabricio Carbo, disse ser o mergulhador mais experiente de Galápagos e afirmou que este foi o primeiro acidente que ocorreu sob sua supervisão em 27 anos de experiência.

Um casal francês, porém, que viajava na mesma excursão, conhecido apenas como Erik e Marie, criticou o instrutor por não checar a presença de todos os mergulhadores toda vez que mudava um ponto de mergulho.

O juiz-legista que preside o inquérito deve dar o veredito do caso no final desta semana.

Fonte: Terra