Mulher processa escola por "deixá-la se tornar" prostituta

Mulher processa escola por "deixá-la se tornar" prostituta

A prostituta alegava que a escola deveria ter evitado que "caçadores de talentos" investissem sobre ela

Maria Mosterd se tornou prostituta. Mas ela elegeu a culpada: sua escola, na cidade de Zwolle. A holandesa de 20 anos então decidiu processar o colégio Thorbecke por "falhar no seu ensino" e por "deixá-la se tornar" uma garota de programa. Bom, perdeu na Justiça da Holanda, segundo o site "deStentor".

A prostituta alegava que a escola deveria ter evitado que "caçadores de talentos" investissem sobre ela e ter avisado à sua mãe os seus recorrentes episódios de vadiagem durante horário de aula.

No processo, Maria usou a sua mãe, Lucie, como testemunha. Segundo ela, por desleixo da escola, a filha se tornou presa fácil para os "lover boys", como são conhecidos na Holanda os homens que exploram meninas para uso na prostituição.

Para o tribunal, são os pais e não as escolas os primeiros responsáveis pelo bem-estar e pelo futuro dos filhos.

Bom, pelo menos Maria conseguiu escrever um livro sobre suas experiências, em que narra como cafetões a tiraram da escola e a introduziram no mundo da prostituição.

Seria uma versão holandesa da Bruna Surfistinha?

Fonte: O Globo, www.oglobo.com.br