Na TV e na realidade, Spiller se apaixona por homem mais novo

Letícia Spiller durante passeio com o marido e a filha



Aquela menina de 21 anos, recém-saída da roupa de paquita, que pendurou o figurino no cabide e saiu do closet metida num shortinho jeans e com um tamancão no pé para viver Babalu, na novela Quatro Por Quatro (1994), se tornou musa dos sonhos de muitos rapazes. Agora, aos 38 anos e com dois filhos, Letícia Spiller vai mostrar que continua com tudo em cima para uma nova geração de meninos que assistirá à nova temporada de Malhação.

Na novelinha, a atriz viverá Laura, dona de um brechó e mãe dos adolescentes Douglas (Pierre Baitelli) e Débora (Juliana Lohmann). "É como uma missão contracenar com os jovens que estão começando e poder trocar experiências. Com certeza, também vou aprender. Não é só porque a gente já fez vários trabalhos que não vai mais aprender", acredita ela.

No decorrer da trama, Laura vai perder um dos filhos e se apaixonar por Guido (Gil Coelho), um rapaz de 23 anos, 15 anos mais novo que a personagem. A ficção tem pontos em comum com a realidade. Na vida real, Letícia é mãe de um adolescente, Pedro, de 14 anos, fruto de seu relacionamento com o ator Marcello Novaes. Além disso, é casada com o fotógrafo Lucas Loureiro, 10 anos mais novo. "Na novela, a Laura se envolve com um garoto que tem quase a idade do filho dela, 18 anos. Isso vai mexer muito com a cabeça da personagem. Mas acho que tudo é possível de acontecer. Não se pode generalizar, mas tem muito cara de 23 que tem mais cabeça que um homem de 40", avalia.

Sem preconceito quando o assunto é relacionamento com homens mais jovens, a atriz, que já está quase na casa dos 40, jura que nunca fez plástica. E mantém um corpão sarado, mesmo seis meses depois de dar à luz Stella. A rotina ajuda. Além de cuidar de casa, dos filhos, do marido, fazer ginástica e estar em cartaz com a peça Outside, Letícia tem um roteiro com muitos dias de gravações. "Tenho uma boa alimentação e cuidar de filho não é mole, não. Mas acho que voltar à forma física foi um conjunto de todas essas coisas: peça, filho, alimentação... E olha que não sou daquelas que só come saladinha, não. No meu prato entram arroz, feijão, carne e legumes", revela a atriz que, de vez em quando, também dá expediente na cozinha. "Gosto de cozinhar, mas ultimamente não tenho tido muito tempo. Faço um cuscuz marroquino que é leve, mas com condimentos e especiarias, como cardamomo. Também gosto da comida tailandesa que, em geral, é afrodisíaca. Um chá Thai, por exemplo, é cheio de temperos interessantes", dá a dica.

Quando o assunto é sedução, Letícia Spiller admite até que já usou seu chapéu de Paquita para um namorado. "Já coloquei, mas não lembro claramente. Não tenho mais a roupa. Doei para algum leilão beneficente há muito tempo. Sem contar que elas não ficavam com a gente. Tinha uma que usava no programa e outra no show, mas elas eram da Globo. A única coisa que ficou comigo foi o chapéu e ele está numa estante guardado, num lugar especial", conta, despistando e jurando que não tem nenhum truque para seduzir.

"Não sei muito bem fazer isso. Foi o Lucas que me conquistou e ele conseguiu isso pela elegância. Eu me interesso pela pessoa, pelo que ela pensa, pelo que tem a acrescentar no relacionamento", explica. Quando o assunto é namoro, Letícia também garante que é tranquila e que ciúme é uma palavra que não faz mais parte da sua vida. Perder a cabeça por um homem? Não mesmo. "Com a maturidade e a maternidade, as coisas mudam. Você fica mais tranquila. Nada mais me tira do sério. Até porque não me relacionaria com uma pessoa que não me passa confiança", simplifica.

Experiência mística

A nova temporada de Malhação, que estreia amanhã, tem como tema central o misticismo e a mediunidade. Letícia Spiller vai interpretar a personagem Laura, uma mãe que perde um dos filhos e, após esse incidente, começa a enfrentar inúmeras situações que envolvem a paranormalidade.

Assim como na novela, a atriz revela que, na vida real, já passou por uma experiência mística semelhante. "Acredito em muita coisa, como no controle da mente, na força do pensamento e da oração. Outro dia, estava até contando isso para o Pedro. Quando era mais nova e já trabalhava, não tinha muito tempo para ficar com as minhas amigas. Então, resolvi fazer uma experiência. Estava viajando pelo Chile, fazendo shows com as paquitas e, em determinado momento, senti uma energia muito forte. Na época, eu já treinava uns exercícios de "mind control" (controle da mente) e aprendi a fazer um relaxamento específico. Resolvi praticar e entrei numa de me comunicar com uma das minhas minhas amigas. Comecei o relaxamento sozinha - eu era muito solitária nessa época - e pensei que ia me comunicar com ela. Mentalizei: "Tal hora ela vai acordar e pensar em mim". Surpreendentemente, quando ela acordou, me escreveu uma carta na mesma hora em que eu havia pensado nela", recorda.

Fonte: Terra, www.terra.com.br