"Não tive frescura e vai ser algo bem naturalista", diz Letícia Birkheuer sobre ensaio nu na Playboy

"Não tive frescura e vai ser algo bem naturalista", diz Letícia Birkheuer sobre ensaio nu na Playboy

Esse é o primeiro ensaio da Playboy que não tem nenhuma peça de roupa, nenhuma joia, disse

Com o término das gravações de seu quadro Menina Fantástica, no Fantástico, Letícia Birkheuer está mergulhada em três projetos: seu novo programa na TV Mix, de Diogo Boni, a nova coleção de sua grife, LB, que trará no inverno 2011 uma inspiração mais disco fever, e, claro, o lançamento do ensaio de capa para a Playboy de dezembro, cujos detalhes ela conta com exclusividade.

Algumas pessoas dizem que seu ensaio será mais comportado. É verdade?

Como podem falar de alguma coisa que ainda não viram? O que posso dizer é que eu quis fazer um ensaio num lugar em que me sentisse super à vontade e que me desse muita energia. Visconde de Mauá foi perfeito, porque tem tudo a ver com a minha infância no Rio Grande do Sul, em que eu andava a cavalo, tomava banho de cachoeira e açude, fazia caminhadas em estradas de terra. E tudo isso vai estar lá. A cachoeira aliás, estava muito fria, mas, como eu estou bem acostumada a isso, não tive frescura.

O que as fotos trarão de novidade?

Esse é o primeiro ensaio da Playboy que não tem nenhuma peça de roupa, nenhuma joia, nada no cabelo, nem mesmo salto alto. É uma visão bem naturalista da mulher. Minha vida toda foi de pés descalços.

Tem medo de que abusem do Photoshop nos retoques das fotos?

Uma vez eu me surpreendi com uma marca estrangeira que mexeu tanto nas minhas fotos que fiquei com um seio muito maior. O pessoal da Playboy é cuidadoso e nem acho que Photoshop combine com esse ensaio justamente pela questão naturalista. Fiquei quase uma mulher bicho-grilo, sem um pingo de maquiagem. Nunca pensei em posar nua, mas tinha certeza de que, se um dia posasse, seria exatamente como foi.

Por que o fotógrafo Vincent Peres, que você tinha escolhido para fazer o ensaio da Playboy, foi substituído?

Porque ele não teria tempo hábil para revelar o filme e tratá-lo em Paris até dia 23, quando a revista tem que ir para a gráfica. Tinha acertado tudo, mas, na última hora, disse que não daria tempo. Então tive a sorte de que outro grande amigo, o (fotógrafo americano) Greg Lotus, topasse assinar o ensaio. Greg é um excelente profissional, já fiz W e Vogue Italia com ele, que fotografa todos os catálogos da rede de lojas Newman Marcus e as campanhas da L"Oréal com Eva Longoria e Penélope Cruz. É um craque.

Apresentar o Fantástico ao vivo não deu frio na barriga?

E como. No começo, eu estava supernervosa. Não que eu tivesse medo de errar o texto, porque até sou boa de improviso e estava falando de um tema que conheço bem, a moda. Tinha medo de tropeçar nas palavras e enrolar, afinal era ao vivo e não tinha teleprompter. Eu treinava muito o texto para deixar a linguagem a mais coloquial possível e fazia exercícios bucais que minha fonoaudióloga me ensinou.

Tem algum outro programa em vista?

Em breve vai ao ar o programa que gravei para a TV Mix, do Diogo Boni, que me convidou para esse novo desafio, mas eu estava de viagem marcada para Paris, Índia e Nova York. Ele me deu a ideia de gravar minha viagem e me deu total liberdade para criar as coisas da minha cabeça. Foi uma experiência incrível produzir; espero que as pessoas se divirtam tanto quanto eu. Esta semana vamos nos reunir para definir o nome e a data de estreia da atração.

Fonte: Terra, www.terra.com.br